20:53 23 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    3910
    Nos siga no

    Em resposta ao presidente do STF que brincou com o ministro dizendo que "colocam no meu colo um filho que não é meu", Guedes respondeu que esse era apenas "um pedido desesperado de socorro" em torno do impasse do Orçamento 2022.

    Nesta quarta-feira (15), o ministro da economia, Paulo Guedes, disse no encontro Movimento Pessoas à Frente, que enviou "um pedido desesperado de socorro" ao Legislativo e ao Judiciário para solucionar o impasse em torno do Orçamento de 2022 provocado pelo aumento nas despesas com precatórios, segundo a Folha de São Paulo.

    O governo diz que não esperava que os precatórios em 2022 subissem para R$ 89,1 bilhões, o que representa uma forte alta em relação aos R$ 54 bilhões previstos no Orçamento de 2021. Os precatórios são dívidas da União que já foram reconhecidas na Justiça e sob as quais há mais possibilidade de recurso.

    Na mesma reunião que acontece anualmente e tem como intenção discutir formas de melhorar o Estado, também estava presente o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, o qual afirmou que a Corte poderá ter que analisar o caso.

    "Não havendo uma avaliação prévia de constitucionalidade, o STF precisa pelo seu colegiado chancelar a solução que venha do Legislativo por iniciativa do Executivo", declarou.

    Segundo a mídia, Guedes busca uma saída para adiar o pagamento de precatórios e, com isso, conseguir mais espaço no teto de gastos, norma que impede o crescimento das despesas acima da inflação.

    O ministro também teria enviado uma PEC solicitando ao Congresso aval para o parcelamento das dívidas já em 2022. Além disso, o governo tenta estabelecer um acordo com membros do STF e do Tribunal de Contas da União (TCU) para aliviar o Orçamento do próximo ano.

    De acordo com a Folha, Fux defendeu o diálogo entre as instituições e, em tom de brincadeira, disse que Guedes é "tão amigo, que coloca no meu colo um filho que não é meu".

    Em resposta, o ministro da Economia afirmou que "é só um pedido desesperado de socorro, de forma alguma é para depositar um filho ou responsabilidade no seu colo".

    Mais:

    Após minirreforma trabalhista ser derrubada pelo Senado, Guedes diz que decisão foi 'equivocada'
    Paulo Guedes diz que pode reformular tabela do imposto de renda se houver 'erro na dose'
    Bolsonaro 'pode ter ultrapassado limites em palavras, mas não em ações', garante Paulo Guedes
    Tags:
    Paulo Guedes, economia, Ministério da Economia do Brasil, STF
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar