23:28 23 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    3257
    Nos siga no

    Na sexta-feira (3), o blogueiro cearense Wellington Macedo foi preso por incitação a atos violentos e financiamento de atos contra as instituições e a democracia.

    A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) afirmou neste sábado (4) ter sido intimada pela Polícia Federal (PF) a prestar depoimento no âmbito do inquérito destinado a apurar supostos atos criminosos e violentos no 7 de setembro.

    ​A parlamentar diz que a oitiva deve ocorrer até domingo (5), por determinação do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes. A parlamentar afirmou que vai comparecer ao depoimento mesmo sem ter tido acesso aos autos.

    "Em respeito à PF e à Constituição, me farei presente. É certo que, para mim, o mar ficará agitado após essa oitiva, mas nada impedirá que mantenha minhas convicções e acredite naquilo que sempre defendi", escreveu a deputada na rede social Twitter.
    © Foto / Luis Macedo/Câmara dos Deputados
    Deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP)

    Prisões antes do feriado

    Na sexta-feira (3), a PF prendeu um dos suspeitos de articular atos antidemocráticos no feriado de 7 de setembro, o blogueiro bolsonarista Wellington Macedo. A PF também procura o caminhoneiro Marcos Antônio Pereira Gomes, o Zé Trovão, para cumprimento de um segundo mandado de prisão. Ele já havia sido alvo de busca e apreensão deflagrada no mês passado sob suspeita de ser um dos organizadores do ato antidemocrático.

    O ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, fala à imprensa após reunião com a presidente do STF, Cármen Lúcia
    José Cruz/Agência Brasil
    O ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, fala à imprensa após reunião com a presidente do STF, Cármen Lúcia

    A ação investiga ainda o cantor Sérgio Reis e o deputado federal Otoni de Paula (PSC-RJ). Em 20 de agosto, a PF visitou pelo menos quatro endereços em Brasília e Rio de Janeiro ligados ao deputado federal e ao cantor.

    Otoni de Paula passou a ser investigado ainda em 2020 por supostos crimes de difamação, injúria e coação em vídeos com ataques e ofensas ao ministro Alexandre de Moraes. Otoni chamou Moraes de "lixo", "tirano" e "canalha". Posteriormente, o deputado pediu desculpas pela publicação do conteúdo.

    Mais:

    Bolsonaro cita Constituição, mas diz que 'nunca houve ocasião tão importante' quanto o 7 de setembro
    Militares pressionam presidente Bolsonaro para vetar revogação da Lei de Segurança Nacional
    Carlos Bolsonaro sobre quebra de sigilo: 'Na falta de fatos novos, requentam os velhos'
    Economia preocupa brasileiro e avaliação do governo Bolsonaro sofre queda de 4% em apenas 1 mês
    Tags:
    blogueiro, ato, manifestação, manifestação, manifestações, manifestações, Polícia Federal, Polícia Federal - PF, Alexandre de Moraes, Supremo Tribunal Federal, Supremo Tribunal Federal (STF), governo bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar