09:15 25 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    293
    Nos siga no

    Presidente do Senado faz reunião com governadores para harmonizar a tensão institucional entre o chefe do Executivo e o Judiciário. Segundo Pacheco, qualquer movimento contra o sistema democrático deve ser "rechaçado".

    Após encontro com governadores de cinco estados e do Distrito Federal para discutir a crise entre os Poderes, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), disse que "a democracia não se negocia", segundo o G1.

    "É muito importante que todos nós estejamos unidos, respeitando as divergências, na busca de consenso, na busca de convergências, mas com um aspecto que é para todos nós inegociável: não se negocia democracia, democracia é uma realidade, o estado de direito é uma realidade", afirmou.

    O encontro, segundo a mídia, tinha como intuito harmonizar a tensão institucional provocada pelo presidente, Jair Bolsonaro. Durante a reunião, também foram abordados temas como o combate à pandemia, recursos para os estados e defesa da democracia.

    Para o presidente do Senado, "não há melhor ambiente do que o democrático", e a manifestação dos governadores feita durante o encontro foi "muito bem recebida" pelo Congresso, pois os gestores, segundo ele, não "fulanizaram" as críticas.

    Presidente Jair Bolsonaro e ministro Luiz Fux se olham no Supremo Tribunal Federal, em 10 de setembro de 2020
    © Foto / Marcos Correa
    Presidente Jair Bolsonaro e ministro Luiz Fux se olham no Supremo Tribunal Federal, em 10 de setembro de 2020

    Pacheco também fez comentários sobre o ato do dia 7 de setembro, e disse esperar que o mesmo seja "cívico" e "patriótico", defendendo que "qualquer movimento contra a democracia seja rechaçado".

    "Obviamente que pontos de manifestação, de um modo geral, qualquer que seja ela, por qualquer meio que seja, que vise retroceder a democracia, que vise não ter eleições, algum tipo de intervenção ou autoritarismo, isso tem que ser rechaçado, porque isso não é democrático, não é patriótico", disse Pacheco citado pela Folha de São Paulo.

    Após o pronunciamento do presidente do Senado, o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), que também participou da reunião, declarou haver uma preocupação "unânime" dos governadores com o "esgarçamento das relações entre os poderes".

    "Existe também uma unanimidade no sentido de que temos que caminhar juntos pela democracia. Isso foi pauta da última reunião e reafirmado aqui hoje com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, no sentido de que a gente possa distensionar o país", disse Ibaneis.

    Mais:

    Pacheco critica Bolsonaro e diz que não moverá '1 milímetro' para atrapalhar CPI
    Brasil: Lira e Pacheco sugerem uma revisão para a Lei de Segurança Nacional
    Dia agitado em Brasília: Pacheco defende ministros do STF e Moraes arquiva caso Augusto Aras
    Tags:
    Rodrigo Pacheco, Senado, democracia, poderes
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar