08:25 16 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    3128
    Nos siga no

    Vereador promete acionar "assessoria para alinhamento de providências a serem tomadas" diante do decreto assinado pelo prefeito do Rio nesta manhã (27). Paes responde que a melhor providência é tomar as doses da vacinas.

    Após o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD), anunciar na manhã de hoje (27), três decretos com restrições à circulação de não imunizados pela cidade, determinando a exigência de comprovante de vacinação contra a COVID-19 para a entrada em espaços de uso coletivo, o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos), disse que tomará providências, pois o decreto fere a Constituição.

    ​Logo em seguida, o prefeito do Rio ironizou a publicação do vereador, dizendo que as providências a serem tomadas seriam "as doses das vacinas".

    ​Paes publicou no Diário Oficial hoje (27) um decreto, que passará a valer a partir do dia 1º de setembro, no qual ficou determinado que a população deverá mostrar o comprovante de vacinação para acessar determinados ambientes fechados, como teatros, cinemas, academias e museus.

    O comprovante pode ser através da caderneta de vacinação em papel ou pelo aplicativo ConecteSUS, que também mostra o status da imunização.

    Quem não tomou as duas doses da vacina poderá acessar os ambientes, desde que comprove que tomou a primeira, e que ainda aguarda a data da imunização final, segundo o jornal O Dia.

    Mais:

    Para controlar governo, além do Pegasus, Carlos Bolsonaro visou outro software israelense, diz mídia
    Vacinação no Rio: Eduardo Paes promete imunizar todos acima de 18 anos até agosto
    'Milícia não vai construir mais porcaria nenhuma nessa cidade', diz Paes após desabamento de prédio
    Tags:
    COVID-19, Carlos Bolsonaro, Eduardo Paes, rio de janeiro, vacinação
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar