03:28 27 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    0 63
    Nos siga no

    Presidente da Câmara diz que "não haverá nada demais" nas manifestações que acontecerão no Dia da Independência do Brasil e que quem pauta o país é o chefe do Executivo.

    Nesta sexta-feira (27), durante participação no evento da Federação Brasileira de Bancos, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP), fez algumas declarações em torno das manifestações que estão marcadas para o dia 7 de setembro, Dia da Independência do Brasil.

    Segundo Lira, "não haverá nada no 7 de setembro", minimizando os atos que estão sendo convocados por bolsonaristas para a data. Para o deputado, quem pauta o país é o presidente, Jair Bolsonaro, e que "nunca havia se falado tanto desse dia no país até agora".

    "O presidente Bolsonaro, de uma maneira ou de outra, é quem pauta esse país. Certo ou errado, pautou com a situação do voto impresso e agora com 7 de setembro. Nunca se falou tanto em 7 de setembro na história do Brasil, pelo menos até o momento que eu me entendo como gente [...]. O humor das bolsas dos mercados está na hipótese desta data. Pelo amor de Deus, não haverá nada no 7 de setembro", declarou Lira citado pelo jornal O Dia.

    O presidente da Câmara também enfatizou que é preciso "se esforçar para que esses movimentos aconteçam" e que parlamentares estão trabalhando em Brasília para "distensionar, diminuir, dirimir e exterminar" versões errôneas sobre os protestos.

    "A gente tem que se esforçar para que os movimentos de rua aconteçam e sejam pacíficos grandes ou pequenos, isso é irrelevante. A gente tem trabalhado em Brasília para distensionar, diminuir, dirimir e exterminar com as versões", afirmou.

    Nos últimos dias, apoiadores de Bolsonaro divulgaram nas redes convocações para manifestações no dia 7 de setembro a favor do voto impresso e contra o Judiciário.

    De acordo com o Correio Braziliense, pelo temor de protestos violentos contra e a favor do presidente, o Senado, a Câmara e o Supremo Tribunal Federal (STF) pediram ao governo do Distrito Federal um reforço na segurança da Esplanada dos Ministérios. 

    Segundo a mídia, apoiadores de Bolsonaro, incluindo policiais militares, têm convocado manifestações contra o Parlamento e a Corte.

    Mais:

    Com percentual recorde, 58% dos brasileiros apoiam impeachment de Bolsonaro, segundo pesquisa
    Enquanto Datafolha aponta 54% a favor de impeachment, Lira rebate: 'Brasil não pode desestabilizar'
    'Impeachment já', 'ditador igual a Chávez': parlamentares opinam ante decisão de Bolsonaro sobre STF
    Tags:
    Arthur Lira, Bolsonaro, Sete de Setembro, manifestações
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar