14:14 23 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    269215
    Nos siga no

    Nesta sexta-feira (20), o ministro Alexandre de Moraes do Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou 29 mandados de busca e apreensão, após o pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR).

    A Polícia Federal (PF) visitou pelo menos quatro endereços em Brasília e Rio de Janeiro ligados ao deputado federal Otoni de Paula (PSC-RJ) e ao cantor Sérgio Reis. No Rio, os policiais estiveram no Anil e na Barra da Tijuca, na Zona Oeste.

    Em uma nota, a PF revelou que o objetivo das buscas consiste na apuração de um crime possível "de incitar a população, através das redes sociais, a praticar atos violentos e ameaçadores contra a Democracia" e várias instituições estatais do poder.

    Um áudio circulava nas redes sociais no último fim de semana, no qual Reis convocava a uma greve nacional de caminhoneiros contra os ministros do STF.

    Sérgio Reis
    © Foto / Agência Brasil/Antônio Cruz
    Sérgio Reis

    A promessa de paralisação dos caminhoneiros ganhou força nas redes sociais no domingo (15). No início da semana, 29 subprocuradores-gerais pediram à PGR a abertura de uma investigação a respeito do caso.

    Por sua vez, o deputado federal Otoni de Paula passou a ser investigado no ano passado pelos supostos crimes de difamação, injúria e coação em vídeos com ataques e ofensas ao ministro do STF Alexandre de Moraes. No vídeo, Otoni chamou Moraes de "lixo", "tirano" e "canalha". Posteriormente, ele pediu desculpas por essa publicação.

    Mais:

    Com percentual recorde, 58% dos brasileiros apoiam impeachment de Bolsonaro, segundo pesquisa
    Kassab: Bolsonaro está 'perdidinho' e 'se bobear' não vai nem disputar reeleição em 2022
    Lula chama Bolsonaro de 'presidente irresponsável' por 'caçar briga' com Judiciário 
    Alta cúpula das Forças Armadas adverte Moraes a 'não entrar no ringue' com Bolsonaro, diz mídia
    Tags:
    Brasil, Supremo Tribunal Federal, Polícia Federal, ministro, procurador-geral, deputado, greve
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar