07:24 16 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Coronavírus no Brasil em meados de agosto de 2021 (13)
    354
    Nos siga no

    Luis Carlos Heinze, um dos senadores que apoiam Bolsonaro, tentou incluir empresas do setor veterinário na produção de vacinas contra a COVID-19 e atuou ativamente no caso da vacina indiana Covaxin.

    O senador Luis Carlos Heinze (PP-RS), um dos defensores do presidente Jair Bolsonaro na CPI da Covid, fez lobby para incluir empresas do setor veterinário na produção de vacinas contra a COVID-19 e atuou como intermediário de negócios que incluíram a empresa Precisa, segundo revelou a Folha de São Paulo.

    A Precisa, empresa que assinou contrato de R$ 1,61 bilhão para receber imunizantes Covaxin da indiana Bharat Biotech, já vem sendo investigada pelo Senado por suspeitas de fraude e corrupção. Antes de o caso da Covaxin ser denunciado, Heinze sugeriu a atuação da Precisa em parceria com grandes indústrias do setor de medicamentos animais para produção da vacina.

    O senador teria realizado ligações para a diretora da Precisa, Emanuela Medrades, nesse contexto do lobby pela produção de vacinas em indústrias veterinárias.

    Um profissional de Saúde exibe os frascos vazios da vacina COVAXIN para COVID-19 em Gauhati, Índia, sábado, 8 de maio de 2021
    © AFP 2021 / Anupam Nath
    Um profissional de Saúde exibe os frascos vazios da vacina COVAXIN para COVID-19 em Gauhati, Índia, sábado, 8 de maio de 2021

    O embaixador brasileiro na Índia, André Aranha Corrêa do Lago, confirmou que o senador tocou no assunto com ele, comprovando com ofício do Ministério das Relações Exteriores enviado à CPI.

    As empresas veterinárias citadas por Heinze estariam em negociações com a Bharat Biotech para produzir a Covaxin. E segundo o embaixador eram as mesmas dos supostos acordos de confidencialidade com a Precisa: Boehringer, Ourofino e Ceva.

    A assessoria de Heinze se pronunciou afirmando que o objetivo de seu cliente ao conversar com a Precisa e com outros laboratórios e empresas de representação farmacêutica, "era o de viabilizar a produção de vacinas e permitir a imunização dos brasileiros".

    A polêmica consiste no uso de instalações destinadas à fabricação de medicamentos animais para seres humanos, que apesar de possuírem padrões de qualidade muito semelhantes, não são totalmente equivalentes em certos aspectos.

    Tema:
    Coronavírus no Brasil em meados de agosto de 2021 (13)

    Mais:

    Vírus no mundo equestre: doença assola cavalos europeus e veterinário compara ao surto da COVID-19
    Caso Covaxin: contrato é cancelado mesmo sem CGU detectar irregularidades em auditoria
    Em depoimentos, Miranda confirma pressão pela Covaxin e reverendo revela detalhes de negociações
    Tags:
    senador, vacina, COVID-19, veterinário, Indiana, lobby, produção
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar