04:29 24 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Coronavírus no Brasil em meados de agosto de 2021 (13)
    075
    Nos siga no

    Este é o quarto medicamento aprovado pelo órgão regulador brasileiro para o tratamento da infecção de novo coronavírus, sendo o terceiro autorizado em esquema de uso emergencial.

    A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nesta quarta-feira (11), por unanimidade, o uso emergencial do medicamento regdanvimabe para o tratamento da COVID-19. O remédio é um anticorpo monoclonal único, ou seja, um anticorpo produzido em laboratório que ajuda o organismo no combate contra determinada doença. Neste caso específico, o alvo é a proteína S, de Spike, responsável pela entrada do novo coronavírus nas células.

    De acordo com a gerência-geral de medicamentos da agência, "o regdanvimabe deve ser administrado assim que possível após teste viral positivo para SARS-CoV-2 e dentro de sete dias após o início dos sintomas", cita o jornal Extra.

    A medicação injetável é de uso restrito a hospitais, e deve ser direcionada a pacientes com fatores de alto risco para a evolução do quadro da doença, como idosos, obesos, pessoas acima de 55 anos e que tenham doença cardiovascular ou doença pulmonar crônica, doença renal crônica, doença hepática crônica, imunossuprimidos ou que estejam recebendo tratamento imunossupressor no momento.

    Enfermeira aplica dose da CoronaVac, vacina contra a COVID-19, em idoso em São Gonçalo, no Rio de Janeiro
    © REUTERS / Ricardo Moraes
    Enfermeira aplica dose da CoronaVac, vacina contra a COVID-19, em idoso em São Gonçalo, no Rio de Janeiro

    Este é o quarto medicamento autorizado pela Anvisa para o tratamento do novo coronavírus. Antes dele, o órgão regulador havia registrado o rendesivir, e autorizado de forma emergencial duas associações de anticorpos monoclonais: banlanivimabe + etesevimabe e o coquetel casirivimabe com imdevimabe.

    O Brasil confirmou na terça-feira (10) mais 1.183 mortes e 35.245 casos de COVID-19, totalizando 564.890 óbitos e 20.213.388 diagnósticos da doença, informou o consórcio entre secretarias estaduais de saúde e veículos de imprensa.

    Tema:
    Coronavírus no Brasil em meados de agosto de 2021 (13)

    Mais:

    COVID-19 virará constipação? Professor britânico explica o que acontecerá com novo coronavírus
    CPI da Covid: Ministério da Saúde coloca em sigilo documentos sobre compra da vacina Covaxin
    Erradicar completamente COVID-19? Cientistas avaliam chances de acabar com vírus
    Cientistas revelam cepa da COVID-19 com taxa de mortalidade 2 vezes maior
    Tags:
    Anvisa, Brasil, COVID-19, novo coronavírus, pandemia, tratamento, remédio, medicação, SARS-CoV-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar