01:03 23 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    16577
    Nos siga no

    Reagindo ao pedido dos EUA ao Brasil para que o país desabilite a tecnologia 5G da Huawei no país, Embaixada da China diz que Washington tem objetivo de difamar Pequim, e que o país estadunidense é o "maior império de hackers" do mundo.

    Neste sábado (7), a Embaixada da China no Brasil respondeu à visita do conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, Jake Sullivan, ao país, após o mesmo dizer que para ser parceiro da OTAN, o Brasil deveria abrir mão da tecnologia 5G da Huawei.

    A embaixada chinesa afirmou em um comunicado que os ataques dos EUA são mal-intencionados e infundados, e que têm real objetivo de difamar Pequim, cercear as empresas chinesas de alta tecnologia e preservar os "interesses egoístas da supremacia norte-americana".

    "A esse tipo de comportamento que busca publicamente coagir os outros países na construção do 5G e sabotar a parceria sino-brasileira, manifestamos forte insatisfação e veemente objeção", afirmou o texto do comunicado.

    A nota afirma que a Huawei tem boa cooperação com mais de 500 empresas brasileiras e fornece equipamentos a quase metade das redes de telecomunicação do país, atendendo a 95% da população brasileira.

    Adicionalmente, a embaixada apontou os EUA como o "maior império de hackers" do mundo, dizendo que o país é que representa uma verdadeira ameaça à segurança cibernética global.

    Sobre a postura do Brasil, a embaixada declarou que não acredita que o governo brasileiro vá excluir os chineses de futuros contratos no setor e manterá um bom ambiente de negócios.

    "Acreditamos que o Brasil vai fornecer regras de mercado em sintonia com os parâmetros de transparência, imparcialidade e não discriminação para empresas chinesas e de qualquer outra nacionalidade, bem como continuar a manter um bom ambiente de negócios para a cooperação econômico-comercial sino-brasileira", disse a nota.

    O Conselheiro de Segurança Nacional dos EUA Jake Sullivan (à direita) acompanhado do Ministro da Defesa do Brasil, Walter Braga Netto, deixa a sede do Ministério da Defesa em Brasília, 5 de agosto de 2021
    © AP Photo / Eraldo Peres
    O Conselheiro de Segurança Nacional dos EUA Jake Sullivan (à direita) acompanhado do Ministro da Defesa do Brasil, Walter Braga Netto, deixa a sede do Ministério da Defesa em Brasília, 5 de agosto de 2021

    Na sexta-feira (6), Jake Sullivan, conselheiro de Segurança Nacional dos EUA visitou o Brasil para tratar diversos assuntos, entre eles combate à pandemia.

    Em reunião com ministro da Defesa, general Braga Netto, Sullivan disse que o país pode ser parceiro da Aliança Atlântica se desabilitar a tecnologia chinesa 5G da Huawei no país, conforme noticiado.

    Mais:

    Sullivan no Brasil: país pode ser parceiro global da OTAN se abandonar tecnologia 5G da Huawei
    EUA usam entregas de caças F-35 para forçarem Emirados Árabes Unidos a abandonarem Huawei, diz mídia
    Pressão dos EUA 'mata' concurso de cabos submarinos envolvendo Huawei, diz mídia
    Tags:
    China, Huawei, Brasil, OTAN, Jake Sullivan
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar