07:39 26 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil contra coronavírus no final de julho de 2021 (12)
    131
    Nos siga no

    Na sexta-feira (23), o laboratório indiano Bharat Biotech rescindiu o acordo com a empresa brasileira Precisa Medicamentos, e a Anvisa suspendeu os testes clínicos com o imunizante no país, sendo que a decisão unânime foi tomada hoje (24).

    A decisão foi tomada pela diretoria colegiada da agência e, desse jeito, o mérito do processo – isto é, a possibilidade de autorizar o uso emergencial das doses do medicamento – não será mais avaliado, informa o portal G1.

    A Precisa atuava na intermediação do contrato da compra da Covaxin pelo Ministério da Saúde do Brasil. A CPI da Covid, por sua vez, investiga uma série de supostas irregularidades.

    Segundo informações disponibilizadas pela Anvisa, a ruptura do acordo fez com que a vacina Covaxin ficasse sem representante nacional. 

    "A negativa está ancorada ao princípio da eficiência, uma vez que seguir com uma avaliação técnica de uma petição já administrativamente corrompida implicaria em significativo desperdício de esforços e recursos da administração", diz trecho do voto da relatora do processo e diretora da Anvisa, Meiruze Freitas, citado pela mídia.

    No comunicado sobre o rompimento com a Precisa, o Bharat Biotech disse que continuaria trabalhando com a Anvisa para obter as aprovações necessárias para o uso da Covaxin no Brasil.

    Tema:
    Brasil contra coronavírus no final de julho de 2021 (12)

    Mais:

    Saúde do Brasil tentou comprar Sputnik V nos mesmos moldes da Covaxin, indica carta enviada ao RFPI
    COVID-19: Ministério da Saúde confirma 1ª morte por variante Delta no Brasil
    Covaxin: PF envia pedido ao STF para definir se Luis Miranda será investigado junto a Bolsonaro
    Tags:
    Brasil, Índia, Anvisa, vacina, contrato, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar