10:17 30 Julho 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil contra coronavírus no final de julho de 2021 (11)
    3415
    Nos siga no

    De acordo com um inquérito instalado pelo Ministério Público Federal (MPF), uma lista com 130 nomes de agentes da Abin foi encaminhada ao Exército, que possibilitou aos servidores "furarem fila" no Programa Nacional de Imunização (PNI).

    Nesta quarta-feira (21), o MPF constatou que uma lista sigilosa com nomes foi enviada diretamente ao Exército para que os funcionários da Abin (Agência Brasileira de Inteligência) fossem vacinados com todos os militares da ativa sem o aval de técnicos do PNI do Ministério da Saúde, segundo a Folha de São Paulo.

    O MPF já havia instaurado um inquérito público no dia 25 de junho para averiguar a "furada de fila" de militares das Forças Armadas, forças de segurança e aos agentes da Abin.

    Segundo a mídia, o documento confirma que 130 servidores da agência foram imunizados, e que a vacinação ocorreu na Praça dos Cristais, em Brasília, em uma parceria entre a secretaria e o Comando Militar do Planalto e do Exército. 

    "A listagem foi enviada diretamente para o Exército, considerando a importância da discrição quanto ao sigilo das atividades e nomes desses servidores", diz o ofício citado pela mídia.

    De acordo com a técnica do PNI, Caroline Gava, "a coordenação de imunização entrou em contato conosco, perguntando sobre esses profissionais [da Abin]. No PNI, esses profissionais não estariam contemplados, por não disporem de ações diretas [relacionadas à atuação em segurança]", afirmou Gava.

    A Folha informou que enviou pedido de resposta para o Ministério da Defesa e para Exército, mas não havia tido resposta até o fechamento da matéria.

    Tema:
    Brasil contra coronavírus no final de julho de 2021 (11)

    Mais:

    Exército Brasileiro poderia ser mais utilizado para combater a COVID-19, diz imunologista
    MPF identifica indícios de crime e risco à saúde em compra de R$ 1,6 bilhão da Covaxin pelo governo
    Seguranças que trabalharam na campanha de Bolsonaro foram transferidos para a Abin, diz jornal
    Tags:
    COVID-19, saúde, Abin, Exército
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar