15:26 20 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    9717
    Nos siga no

    Presidente ironiza últimas pesquisas sobre intenções de votos e diz que "se a gente confiar no Datafolha, nem vai votar", uma vez que, segundo Bolsonaro, o instituto ao receber "grana" já diz qual será o candidato eleito ano que vem.

    Nesta segunda-feira (12), ao conversar com apoiadores na saída do Palácio do Alvorada, o presidente, Jair Bolsonaro, questionou as recentes pesquisas produzidas pelo Instituto Datafolha, dizendo que as mesmas "recebem dinheiro para adulterar os resultados", segundo a revista IstoÉ.

    "Datafolha recebeu pouca grana dessa vez. Disse que no segundo turno o Lula tem só 60%, então tem que colocar mais um dinheirinho no Datafolha para passar para 70%, 80%. Quem sabe, se a gente confiar no Datafolha, nem vai votar. Já está eleito mesmo", disse o presidente citado pela mídia.

    Conforme noticiado no dia 9 de junho, na última pesquisa realizada pelo instituto, o ex-presidente Lula passou de 21% para 26% na intenção de votos, enquanto Bolsonaro foi de 17% para 19%. Em simulações de segundo turno, o presidente também perderia para Ciro Gomes (PDT) e João Doria (PSDB).

    Em nova pesquisa divulgada ontem (11), 54% dos brasileiros apoiam a abertura do processo de impeachment contra o presidente.

    Ainda segundo a mídia, na mesma conversa com apoiadores, Bolsonaro voltou a questionar a segurança das eleições.

    "Vamos fazer de tudo para que nós tenhamos eleições limpas e transparentes, para o bem do Brasil, porque se não for assim, é sinal de que já está escolhido quem vai nos comandar, e as pessoas que chegam na fraude não têm compromisso com vocês", afirmou o presidente.

    Anteriormente, Bolsonaro declarou, sem provas, que o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) participaria de fraudes e que, por esse fato, "corremos o risco de não termos eleições no ano que vem".

    As constantes declarações do presidente ameaçando o sistema eleitoral brasileiro fazem parte de uma série de pressões para a volta do voto impresso, tema que está em pauta no Congresso.

    Entretanto hoje (12), o vice-presidente, Hamilton Mourão, confirmou que as eleições presidenciais serão realizadas "mesmo que não seja aprovada a proposta do voto impresso auditável".

    Mais:

    Nova pesquisa Datafolha: Lula amplia vantagem sobre Bolsonaro no 1º e 2º turnos das eleições 2022
    Datafolha: 70% dos brasileiros querem vacina obrigatória; número é recorde
    Enquanto Datafolha aponta 54% a favor de impeachment, Lira rebate: 'Brasil não pode desestabilizar'
    Tags:
    Brasil, política, Bolsonaro, Datafolha, eleições
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar