14:18 04 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    2224
    Nos siga no

    Salles pediu para deixar o cargo na última quarta-feira (23). Segundo advogados, a ordem expedida pelo STF é exagerada, a partir do momento que ao ser exonerado, o ex-ministro perdeu o foro privilegiado.

    Nesta sexta-feira (25), a ministra do Supremo Tribunal Eleitoral (STF), Cármen Lúcia, ordenou que o ex-ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, entregasse seu passaporte à Polícia Federal. Sendo assim, Salles fica impossibilitado de deixar o país, segundo a Folha de São Paulo.

    Os advogados do ex-ministro já foram intimados e vão cumprir a ordem judicial, mas afirmam que a determinação da ministra é desnecessária, segundo a mídia.

    "Uma vez exonerado do cargo de ministro, ele não deveria mais estar sob a jurisdição do STF, já que perdeu o foro privilegiado. A politização do Supremo Tribunal Federal é ruim para qualquer um dos lados", disse o advogado Roberto Podval, que representa o ex-ministro, citado pela mídia.

    Na quarta-feira (23), Salles pediu para deixar o cargo, que passou a ser gerido por Joaquim Alvaro Pereira Leite.

    A gestão do ex-ministro foi marcada por várias controvérsias e polêmicas. Salles é alvo de inquérito, autorizado pelo STF, por supostamente atrapalhar investigações sobre apreensão de madeira. 

    Em um segundo inquérito, é acusado de supostamente ter praticado crimes com o objetivo de dificultar a fiscalização ambiental e impedir apurações sobre organização criminosa, além de suposto crime de advocacia administrativa.

    Mais:

    'Excepcional ministro': Bolsonaro sai em defesa de Ricardo Salles
    Ricardo Salles deixa Ministério do Meio Ambiente; Joaquim Alvaro Pereira Leite assume o cargo
    O que há de grave contra Ricardo Salles e qual foi o papel dos EUA na investigação da PF?
    Tags:
    Brasil, Ricardo Salles, meio ambiente, Polícia Federal
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar