01:06 24 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Copa América 2021 no Brasil (18)
    118
    Nos siga no

    Prefeito da capital de Mato Grosso pediu 670 mil doses de vacinas contra a COVID-19, afirmando que esse número seria suficiente para assegurar a vacinação da população acima de 18 anos em Cuiabá.

    O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, confirmou nesta quarta-feira (9) o envio de doses extras de vacinas contra a COVID-19 para Cuiabá devido à realização de jogos na Arena Pantanal pela Copa América durante junho.

    "Essa demanda das vacinas com certeza nós vamos atender, com muito prazer. Vou verificar com o Programa Nacional de Imunização a quantidade de doses que será remetida para a capital de Mato Grosso. O Ministério da Saúde está sempre de portas abertas", afirmou o ministro, citado pelo portal G1.

    O pedido de doses extras foi realizado pelo prefeito da cidade, Emanuel Pinheiro (MDB) junto com o seu filho, o deputado federal Emauelzinho (PTB).

    "Isso representa a vitória do esforço, da união e da interlocução do nosso deputado Emanuelzinho e de todos os cuiabanos, que merecem ser beneficiados com a imunização contra a COVID-19, já que um grande evento esportivo, que é a Copa América, vai acontecer em terras cuiabanas ao longo de todo o mês de junho, o que com certeza vai impactar a rotina da cidade, por mais que haja protocolos restritivos", disse o prefeito, segundo o portal UOL.

    Pinheiro era contra a organização da competição em Cuiabá, afirmando que a decisão partiu de Bolsonaro e do Governo Estadual junto com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

    O objetivo de Pinheiro era obter 670 mil doses, o que, segundo os cálculos da Prefeitura, seria o suficiente para vacinar toda a população da cidade acima dos 18 anos. Todavia, os números finais das doses extras ainda não foram divulgados.

    Mulher segura cartaz de protesto contra a organização da Copa América pelo Brasil, 6 de junho de 2021
    © AP Photo / Eraldo Peres
    Mulher segura cartaz de protesto contra a organização da Copa América pelo Brasil, 6 de junho de 2021

    'Campeonato da morte'

    Especialistas em saúde pública, juízes do Supremo Tribunal e jogadores da Seleção Brasileira questionaram a conveniência de organizar o torneio em meio a uma pandemia. Senadores que participam da CPI da Covid declararam que o campeonato da Copa América no Brasil seria "o campeonato da morte".

    Mais de 475.000 brasileiros morreram em decorrência da COVID-19 e especialistas alertam que uma terceira onda se aproxima junto com o inverno no hemisfério sul.

    Tema:
    Copa América 2021 no Brasil (18)

    Mais:

    Combinação da Sputnik V com vacinas chinesas pode ser testada em países árabes, diz RFPI
    COVID-19: Bolsonaro recebeu orientação contra vacinas de 'ministério paralelo', diz mídia
    Anvisa decide recomendar importação das vacinas Sputnik V e Covaxin com restrições ao uso
    'Brasil ficou sem escolha': especialista comenta apoio do país à quebra de patentes de vacinas
    Tags:
    pandemia, novo coronavírus, COVID-19, vacinação, vacina, vacina, futebol, futebol, copa américa, Cuiabá, Ministério da Saúde
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar