07:20 14 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    23720
    Nos siga no

    Alegando que "não ficou caracterizada a prática de transgressão disciplinar", Exército decide não penalizar o general que participou de evento sem máscara após depoimento à CPI da Covid.

    Nesta quinta-feira (3), o Exército Brasileiro informou que não vai punir o general e ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, pela participação em um evento político para motoqueiros com o presidente Jair Bolsonaro no Rio de Janeiro, no último dia 23 de maio, de acordo com o G1.

    O Regulamento Disciplinar do Exército e o Estatuto das Forças Armadas proíbem a participação de militares da ativa em manifestações políticas, porém, a corporação interpretou que "não ficou caracterizada a prática de transgressão disciplinar" por parte de Pazuello.

    O evento com Bolsonaro e o general aconteceu dois dias após o ex-ministro da Saúde ser ouvido pela CPI da Covid no Senado, onde foi questionado sobre as falhas do governo no enfrentamento à pandemia. 

    Durante a celebração, Pazuello chegou a subir em um trio elétrico onde Bolsonaro discursava para motoqueiros, ambos estavam sem máscaras de proteção.

    Ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello participa, ao lado do presidente Jair Bolsonaro, de manifestação no Rio de Janeiro
    © AP Photo / Bruna Prado
    Ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello participa, ao lado do presidente Jair Bolsonaro, de manifestação no Rio de Janeiro

    Após o evento, o vice-presidente, Hamilton Mourão, defendeu a regra que veda participação de militares da ativa em atos políticos para "evitar que a anarquia se instaure dentro" das Forças Armadas, de acordo com o G1.

    Mas a defesa do general argumentou que o evento questionado não era político-partidário porque o país não está em período eleitoral, e também pelo fato de Bolsonaro não ser filiado a qualquer partido político.

    Segundo a mídia, o processo disciplinar foi arquivado.

    Mais:

    Ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello é nomeado para secretaria ligada ao gabinete presidencial
    'Se Pazuello mentir de novo na CPI, sairá algemado', diz Omar Aziz, presidente da comissão
    'Manobra arriscada': presença de Pazuello em ato com Bolsonaro é cálculo político, diz pesquisador
    Tags:
    Exército Brasileiro, Bolsonaro, Eduardo Pazuello
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar