01:22 21 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil vs. coronavírus no fim de maio de 2021 (47)
    9161
    Nos siga no

    O ministro das Relações Exteriores, Carlos França, disse em documento entregue à CPI da Covid que o Itamaraty não forneceu informações sobre uma suposta "guerra química" relacionada ao coronavírus. 

    No dia 5 de maio, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que o vírus pode ter sido criado em laboratório e falou em uma "nova guerra". 

    "Os militares sabem o que é guerra química, bacteriológica e radiológica. Será que não estamos enfrentando uma nova guerra? Qual o país que mais cresceu o seu PIB? Não vou dizer para vocês", disse o presidente, no que foi interpretado como uma referência à China, onde foram detectados os primeiros casos de COVID-19, no final de 2019. 

    O Itamaraty, em resposta a um requerimento que o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) fez na CPI da Covid, disse que nunca produziu qualquer tipo de documento sobre o assunto. 

    "Este Ministério não produziu ou forneceu informação sobre a possibilidade de estar em curso uma guerra não declarada, promovida por nação estrangeira, por meio de guerra, química, bacteriológica e radiológica", diz a resposta assinada pelo chanceler. 

    Parlamentares que integram a CPI sustentam que declarações de Bolsonaro contra a China prejudicaram a campanha de vacinação no Brasil. A produção dos imunizantes CoronaVac e Oxford/AstraZeneca dependem de insumos exportados pelo país asiático. 

    Tema:
    Brasil vs. coronavírus no fim de maio de 2021 (47)

    Mais:

    Especialista desmente ex-chanceler Ernesto Araújo: 'Brasil entrou em uma cruzada anti-China'
    China seguirá comprando soja do Brasil agora, mas esse cenário pode mudar, alerta especialista
    Embaixador da China no Brasil satiriza publicação do Ministério da Saúde
    Tags:
    China, Brasil, Itamaraty, Jair Bolsonaro, pandemia, novo coronavírus, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar