10:13 23 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil vs. coronavírus no fim de maio de 2021 (47)
    4132
    Nos siga no

    Compras de insumos e licitações de serviços para o enfrentamento da COVID-19 tornaram-se alvo de uma série de operações da Polícia Federal, que apurou casos corrupção, falha na entrega das contratações e irregularidades em preços.

    Os dados sobre as operações da Polícia Federal (PF) fazem parte de um balanço divulgado neste sábado (22) pelo Metrópoles. Ao todo, R$ 2,2 bilhões podem estar envolvidos em fraudes.

    A primeira investigação policial aconteceu em 23 de abril de 2020. Desde então, somam-se a esta mais 76 operações, em 20 estados do Brasil.

    A PF apura possíveis irregularidades nos gastos destinados ao controle da pandemia. Vale lembrar que na CPI da Covid, a investigação sobre este assunto é uma das exigências da base governista.

    Em média, a Polícia Federal deflagrou seis operações por mês. As investigações envolvem a compra de respiradores, o superfaturamento de preços, a construção de hospitais de campanha, e os insumos comprados com dinheiro público que não foram entregues.

    Em Ribeirão Pires, na região metropolitana de São Paulo, profissionais de saúde cuidam de uma paciente de COVID-19 em um hospital de campanha, em 17 de abril de 2021
    © AP Photo / Andre Penner
    Em Ribeirão Pires, na região metropolitana de São Paulo, profissionais de saúde cuidam de uma paciente de COVID-19 em um hospital de campanha, em 17 de abril de 2021

    Neste período, 12 pessoas foram presas preventivamente. Outras 140 tiveram a prisão temporária decretada pela Justiça. Ao todo, policiais federais cumpriram 1.207 mandados de busca e apreensão.

    Entre os estados que foram alvos de operações da PF, estão: Rio Grande do Sul, Goiás, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Acre, Amazonas, Rondônia, Roraima, Pará, Amapá, Tocantins, Maranhão, Piauí, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Sergipe e Bahia.

    A mais recente operação do tipo ocorreu em 20 de abril. A Polícia Federal cumpriu mandados de prisão contra cinco pessoas e 38 ordens de busca e apreensão em uma missão chamada de Operação Contágio.

    As suspeitas são de que os municípios de Hortolândia, no interior paulista, e Embu das Artes e Itapecerica da Serra, na Grande São Paulo, tenham contratado uma organização social (OS) sem capacidade técnica para prestação de serviços na área da saúde.

    Os agentes federais apuram o desvio de recursos públicos a partir de informações fornecidas pela Controladoria-Geral da União (CGU). Os contratos sob investigação têm o valor total de mais de R$ 100 milhões.

    Hospital de campanha para coronavírus na cidade do Rio de Janeiro
    © Folhapress / FramePhoto
    Hospital de campanha para coronavírus na cidade do Rio de Janeiro

    Tema:
    Brasil vs. coronavírus no fim de maio de 2021 (47)

    Mais:

    Com a chancela de Bolsonaro, novo ministro da Justiça vai trocar comandos da PF e da PRF
    Ministro da Justiça anuncia Paulo Maiurino como novo diretor-geral da PF
    Brasil: com base da Lei de Segurança Nacional, PF intima Boulos por 'ameaçar' Bolsonaro
    Tags:
    roubo, desvio, desvio de dinheiro público, desvio de verbas públicas, corrupção, Polícia Federal - PF, Polícia Federal, Brasil, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar