07:35 14 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    163411
    Nos siga no

    Ex-presidente Lula, que comandou o Brasil entre 2003 e 2011, confirmou a uma revista francesa que será candidato nas eleições presidenciais no ano que vem.

    O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva confirmou, nesta quinta-feira (22), à revista Paris Match, que será mesmo candidato nas próximas eleições presidenciais brasileiras em 2022.

    "Serei candidato contra Bolsonaro", confirmou o ex-presidente Lula.

    Em um momento em que a pandemia no Brasil já custou mais de 400 mil vidas e o valor do real caiu cerca de 40% só em 2020, Lula afirma querer tirar seu país do impasse e das crises geradas por Bolsonaro na economia e na saúde.

    Em entrevista à publicação, Lula falou sobre ter contraído a COVID-19 em janeiro passado e respondeu que depois dos antibióticos ficou bem, mas continua tomando precauções.

    "Mesmo vacinado, continuo me cuidando. Evito as multidões, continuo usando máscara e uso álcool em gel sempre que preciso. Você vê quem mais me ama sou eu mesmo!", brincou o futuro candidato à Presidência do Brasil.
    Ex-presidente Lula toma 2ª dose da vacina contra a COVID-19 usando a máscara de proteção com a logo do Partido dos Trabalhadores, demonstrando sua união intensa com o partido, São Bernardo do Campo, São Paulo, em 3 de abril de 2021
    Ex-presidente Lula toma 2ª dose da vacina contra a COVID-19 usando a máscara de proteção com a logo do Partido dos Trabalhadores, demonstrando sua união intensa com o partido, São Bernardo do Campo, São Paulo, em 3 de abril de 2021

    Eleições presidenciais de 2022

    Ao ser perguntado sobre a corrida presidencial no ano que vem, Lula não hesitou em confirmar. "Se estou na melhor posição para ganhar as eleições presidenciais e gozo de boa saúde, sim, não hesitarei. Acho que fui um bom presidente. Criei laços fortes com Europa, América do Sul, África, Estados Unidos, China e Rússia", referindo-se à política externa de seus dois mandatos entre 2003 e 2011.

    "Sob meu mandato, o Brasil tornou-se um importante ator no cenário mundial", enalteceu.

    Questionado sobre a condenação recente do ex-juiz e ex-ministro Sergio Moro por parcialidade no caso em que foi considerado culpado, Lula relembra seu primeiro depoimento em que disse ao então juiz que estava sendo condenado "antes mesmo de ser julgado".
    "O que eles não sabiam é que estou pronto para lutar até o último suspiro para provar que se uniram para me impedir de ir às eleições [de 2018]", concluiu Lula.

    Relações externas no governo Lula

    A publicação quis saber como Lula observa as relações diplomáticas entre Brasil e França, e o petista foi enfático ao dizer que acha a relação franco-brasileira "extraordinária" e "excepcional".

    Para Lula, o Brasil não deveria procurar entrar em conflito com nenhum país. Mesmo com qualquer divergência entre países e presidentes, o político acredita na importância de manter relações diplomáticas saudáveis para garantir a democracia, a política de desenvolvimento, as relações comerciais, a ciência e a tecnologia.

    Mais:

    STF decide que anulação das condenações de Lula será analisada por plenário
    Políticos latino-americanos, inclusive Dilma e Lula, assinam carta de apoio ao povo colombiano
    Lula atrai centrão, elogia FHC e diz que Ciro não quer ser seu amigo
    Tags:
    Bolsonaro, 2022, eleições, Brasil, Presidência da República, presidente, Lula
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar