21:01 21 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    COVID-19 no Brasil em meados de maio (48)
    0 21
    Nos siga no

    Ernesto Araújo, ex-ministro das Relações Exteriores do Brasil, está sendo ouvido na manhã desta terça-feira (18) na CPI da Covid, no Senado Federal.

    Araújo começou seu depoimento com um resumo de sua gestão, destacando a "qualidade das relações" no período com China e Reino Unido.

    A CPI da Covid realiza oitiva do ex-ministro das Relações Exteriores do Brasil, Ernesto Araújo.
    Jefferson Rudy/Agência Senado
    A CPI da Covid realiza oitiva do ex-ministro das Relações Exteriores do Brasil, Ernesto Araújo

    Perguntado pelo relator da CPI, o senador Renan Calheiros (MDB-AL), se o governo definiu uma política internacional para lidar com as questões da pandemia, o depoente afirmou que as orientações surgiram em diferentes momentos e que o Itamaraty as recebeu do Ministério da Saúde, mas que não tinha conhecimento de um plano único para enfrentamento da pandemia.

    Em relação a vacinas, Renan foi direto ao perguntar o que o Itamaraty fez concretamente para obter mais vacinas para o país.

    "Desde o começo, ainda em janeiro [de 2020], instruímos vários postos no exterior para que prospectassem pesquisas sobre medicamentos e vacinas. Tivemos tratativas com Índia, China e Reino Unido. E também com os EUA", declarou Araújo.

    O ex-ministro também disse que jamais promoveu "atritos com a China, seja antes, seja durante a pandemia".

    "Não era uma política de alinhamento automático com os EUA, nem uma política de enfrentamento com a China", declarou.

    Caso cloroquina

    Perguntado por Calheiros se ele tinha em troca de telegramas com o embaixador na Índia — em defesa da economia e contra o isolamento — dado apoio à busca de cloroquina no mercado, Araújo confirmou as mensagens.

    Organização Mundial da Saúde (OMS) excluiu a cloroquina da lista de opções em análise para o tratamento da COVID-19
    © Folhapress / Dirceu Portugal /Fotoarena
    Organização Mundial da Saúde (OMS) excluiu a cloroquina da lista de opções em análise para o tratamento da COVID-19
    "Naquele momento, em março [de 2020], havia expectativa de que haveria eficácia da cloroquina para tratamento. Houve corrida pelos insumos. Lembrando que a hidroxicloroquina é usada para doenças crônicas e seu estoque havia baixado. Isso independente da eficácia para a Covid", declarou o ex-chanceler.

    Araújo esteve à frente do Itamaraty entre janeiro de 2019 e março de 2021.

    Tema:
    COVID-19 no Brasil em meados de maio (48)

    Mais:

    'Temos um vagabundo inquirindo pessoas de bem', diz Bolsonaro sobre CPI (VÍDEOS)
    Direito ao silêncio: AGU pede ao Supremo para permitir que Pazuello fique calado em CPI
    CPI da Covid: Lewandowski concede a Pazuello o direito de ficar em silêncio
    Tags:
    relações exteriores, pandemia, COVID-19, CPI, Senado, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar