06:35 14 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    5150
    Nos siga no

    Ministro da Defesa, Walter Braga Netto disse nesta quarta-feira (12) em audiência na Câmara que recomendou às Forças Armadas a suspensão na compra de bebidas alcoólicas.

    Após o escândalo do leite condensado e das picanhas, o ministro da Defesa do Brasil justificou, em audiência na Câmara dos Deputados, que a bebida alcoólica comprada pelas Forças Armadas seria consumida em confraternizações "depois de uma atividade estressante".

    "Nós já fizemos a recomendação para que isso seja evitado, já foi evitado isso aí, tá? Não vou comentar situações que ocorreram no passado. Agora, tem confraternizações, o pessoal vai para uma atividade estressante, quando eles voltavam era feita uma confraternização. Hoje em dia isso é feito com contribuição de cada um", sentenciou Braga Netto.

    O ministro foi questionado pelo deputado Kim Kataguiri (DEM) sobre a necessidade de consumo de bebidas em cerimônias em plena pandemia da COVID-19, escreve o jornal O Globo. 

    Documento do próprio ministério confirmou a compra de 80 mil latas de cervejas de várias marcas. Em sua defesa, a pasta justificou também que as "bebidas eram usadas para temperar alimentos".

    O caso veio à tona após a repercussão negativa ao gasto de R$ 15 milhões do governo federal com leite condensado. O Tribunal de Contas da União (TCU) abriu investigação para apurar possíveis irregularidades.

    Essa é a terceira participação de Braga Netto em audiências no Congresso em um período de 15 dias. O ministro participou de reunião na Comissão de Relações Exteriores do Senado no dia 29 de abril, e também esteve na Comissão de Relações Exteriores da Câmara no último dia 5.

    Em Brasília, o ministro da Defesa, general Walter Souza Braga Netto, participa de evento de apresentação dos chefes das Forças Armadas do Brasil, em 31 de março de 2021
    © REUTERS / Adriano Machado
    Em Brasília, o ministro da Defesa, general Walter Souza Braga Netto, participa de evento de apresentação dos chefes das Forças Armadas do Brasil, em 31 de março de 2021

    Mais:

    Mourão defende 'princípio da antiguidade' para nomeação de novos comandantes das Forças Armadas
    Oposição pede impeachment de Bolsonaro, desta vez por 'cooptação' das Forças Armadas
    Bolsonaro 'sai do sério' com declaração de Mourão sobre troca nas Forças Armadas
    Tags:
    COVID-19, bebidas alcoólicas, bebida alcoólica, Jair Bolsonaro, Brasil, Forças Armadas do Brasil, forças armadas
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar