06:51 19 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil enfrentando COVID-19 no início de maio de 2021 (52)
    7224
    Nos siga no

    O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse nesta segunda-feira (10) que há 10 mil litros de insumos da vacina CoronaVac retidos na China à espera de liberação para exportação ao Brasil. 

    Segundo Doria, esse volume serve para fabricar 18 milhões de doses da vacina contra o coronavírus desenvolvida no laboratório Sinovac. 

    Mais cedo, o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, afirmou que a lentidão e a incerteza na liberação dos insumos podem afetar o cronograma de vacinação no país a partir de junho.

    Nesta segunda-feira (10), a entidade entregou dois milhões de doses da CoronaVac ao Ministério da Saúde. Duas novas remessas estão previstas para serem entregues até o final desta semana.

    Depois, o Butantan precisa receber a matéria-prima para conseguir reiniciar o envase, suspenso na última quinta-feira (6).

    'Problema diplomático'

    O governador João Doria também disse que existe a possibilidade de atraso na vacinação. Ele culpou o governo do presidente Jair Bolsonaro pela dificuldade de liberação dos insumos pela China. 

    "Temos o temor [de atrasar a vacinação]. Faltam insumos. Por quê? Porque o governo da China não autorizou o embarque. Temos 10 mil litros prontos e aguardando a liberação do governo da China. São 18 milhões de doses. É muito necessário para o Brasil. É um problema diplomático, um problema que se dá pelas manifestações sucessivas erráticas e desnecessárias pelo governo federal, do presidente Jair Bolsonaro, seus filhos e seus ministros", afirmou. 
    Tema:
    Brasil enfrentando COVID-19 no início de maio de 2021 (52)

    Mais:

    Bolsonaro edita MP que libera R$ 5,5 bilhões para produção e compra de vacinas
    Bolsonaro transformou a Amazônia em 'parque de diversões para criminosos', diz ambientalista
    Filipe Martins é obstáculo para China e sua demissão pode ser benéfica para Brasil, diz especialista
    Tags:
    pandemia, novo coronavírus, COVID-19, Instituto Butantan, João Doria, Vacina CoronaVac
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar