16:21 06 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Mundo enfrenta pandemia no fim de abril de 2021 (77)
    20911
    Nos siga no

    A declaração da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) sobre a vacina russa Sputnik V não tem nada a ver com realidade, disse o vice-diretor de pesquisa científica do Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya, fabricante do imunizante, Denis Logunov.

    Na segunda-feira (26), o vice-diretor de pesquisa científica do Centro Gamaleya, Denis Logunov, destacou que a Federação da Rússia realiza o controle de série de tudo que é produzido pelo Centro Gamaleya e por outros fabricantes.

    Nenhum controle tem informação de que a vacina possui adenovírus replicante, e a Anvisa não solicitou protocolos de controle de qualidade consolidados, segundo autoridade do centro.

    "Ou seja, não houve nenhuma discussão sobre [...] conteúdo específico de partículas replicantes no medicamento. É importante dar atenção e dizer que a declaração que pelo menos eu vi na imprensa, com certeza, não tem nada a ver com a realidade", afirmou Logunov.

    Na segunda-feira (26), a Anvisa decidiu não recomendar a importação excepcional e temporária da vacina russa Sputnik V devido à falta de dados e ao risco de doenças por falhas na fabricação. Além disso, a Anvisa informou não ter recebido permissão de acesso às instalações do Centro Gamaleya.

    Por sua vez, o diretor do Centro Gamaleya, Aleksandr Gintsburg, declarou que a Anvisa não solicitou visita às instalações de fabricação da vacina russa, afirmando que o centro não nega visita a ninguém, mas há regras.

    Tema:
    Mundo enfrenta pandemia no fim de abril de 2021 (77)

    Mais:

    'Continuarei lutando por essa autorização', diz governador do Ceará sobre Sputnik V
    Kremlin: se Anvisa precisa de mais dados da Sputnik V, nós os entregaremos
    Governo Bolsonaro ignorou 11 ofertas para compras de vacina, diz portal
    Tags:
    Anvisa, Brasil, vacina, Sputnik V, novo coronavírus, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar