07:35 14 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil afronta COVID-19 no fim de abril de 2021 (62)
    456
    Nos siga no

    O juiz Charles Morais, da 2ª Vara da Justiça Federal de Brasília, no Distrito Federal, decidiu nesta segunda-feira (26) suspender a eventual indicação do senador Renan Calheiros (MDB-AL) para relator da CPI da Covid.

    A CPI deve ser instalada nesta terça-feira (27), a partir da eleição do presidente, do vice-presidente e a definição de um plano de trabalho. As informações foram publicadas pelo portal G1.

    A presidência da CPI deve ficar com o senador Omar Aziz (PSD-AM) e a vice-presidência, com Randolfe Rodrigues (Rede-AP). Já o senador Renan Calheiros (MDB-AL) deve ser designado relator.

    A decisão da Justiça Federal atende a um pedido feito pela deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) sob a alegação de que a indicação de Renan Calheiros afronta a moralidade administrativa e compromete a "imparcialidade que se pretende de um relator" já que ele responde a processos em tramitação no Supremo Tribunal Federal (STF).

    ​Morais determina que o nome de Renan Calheiros "não seja submetido à votação para compor a CPI em tela, e isso somente até a vinda da manifestação preliminar sua e da Advocacia-Geral da União no caso".

    O senador disse, em publicação nas redes sociais, que vai recorrer da determinação.

    "A decisão é uma interferência indevida que subtrai a liberdade de atuação do Senado. Medidas orquestradas pelo governo Jair Bolsonaro e antecipada por seu filho. A CPI é investigação constitucional do Poder Legislativo e não uma atividade jurisdicional. Nada tem a ver com Justiça de primeira instância. Não há precedente na história do Brasil de medida tão esdrúxula como essa. Estamos entrando com recurso e pergunto: por que tanto medo?", escreveu o senador.

    O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), disse que não vai cumprir a decisão.

    "Trata-se de questão interna corporis do Parlamento, que não admite interferência de um juiz", afirmou, citado pelo jornal Folha de S.Paulo.
    Tema:
    Brasil afronta COVID-19 no fim de abril de 2021 (62)

    Mais:

    Brasil registra 1.279 mortes por COVID-19 em 24 horas e total de óbitos ultrapassa 392 mil
    Empresas brasileiras temem prejuízos financeiros por 'antipolítica ambiental' do governo
    Por unanimidade, Anvisa decide não recomendar importação da vacina russa Sputnik V
    Programa Wi-Fi Brasil: UFF garante ajuda e tecnologia 20 vezes mais barata para difundir a Internet
    Abralatas: número de latinhas recicladas no Brasil é expressivo, mas não surpreende
    Tags:
    Justiça Federal, pandemia, Jair Bolsonaro, Renan Calheiros, Senado Federal, CPI, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar