21:00 10 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil afronta COVID-19 no fim de abril de 2021 (62)
    5371
    Nos siga no

    O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) aprovou nesta segunda-feira (26) a liberação comercial da vacina russa Sputnik V.

    A decisão foi tomada pela Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio), ligada à pasta, e anunciada momentos antes da reunião final para a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidir se autoriza ou não a importação da Sputnik V.

    A CTNBio analisou a liberação comercial da Sputnik V a partir de informações apresentadas à pasta pelo laboratório brasileiro União Química, que quer produzir o imunizante da Rússia no Brasil.

    Em nota, o MCTI apontou: "Para que qualquer organismo geneticamente modificado seja introduzido no mercado, é necessário que seja liberado para uso comercial pela CTNBio, como alguns tipos de vacinas, à exemplo da Sputnik V". 

    No texto divulgado pelo ministério, o ministro Marcos Pontos destacou que a aprovação por parte da CTNBio aconteceu antes do prazo final, 28 de abril, e é consequência dos esforços do governo, escreve a CNN.

    Ainda nesta segunda-feira (26), as redes sociais da vacina Sputnik V fizeram uma série de publicações defendendo o uso do imunizante no Brasil. "Prezada Anvisa, não temos tempo a perder. Deixe-nos começar a salvar vidas no Brasil. A Sputnik V foi autorizada em 61 países com uma população de mais de 3 bilhões de pessoas", diz uma das mensagens.

    ​Apesar da decisão da CTNBio, a importação só poderá ocorrer caso a Anvisa autorize a operação. Na semana passada, Jair Bolsonaro e o presidente russo Vladimir Putin chegaram a conversar sobre a importação do imunizante. No entanto, o pedido feito à Anvisa pela farmacêutica brasileira União Química para o uso emergencial da vacina russa ainda não foi autorizado.

    Funcionários da União Química trabalham em produção-piloto dos insumos da vacina russa contra a COVID-19, Sputnik V, em Brasília, 25 de janeiro de 2021
    © AP Photo / Eraldo Peres
    Funcionários da União Química trabalham em produção-piloto dos insumos da vacina russa contra a COVID-19, Sputnik V, em Brasília, 25 de janeiro de 2021

    Tema:
    Brasil afronta COVID-19 no fim de abril de 2021 (62)

    Mais:

    Governadores pedem liberação rápida para produzir Sputnik V no Brasil
    Sputnik V no Brasil: Ministério da Saúde anuncia compra de 10 milhões de doses
    Departamento de Saúde dos EUA confirma que pressionou Brasil contra vacina russa Sputnik V
    Tags:
    pandemia, COVID-19, vacinação, vacina, Ciência e Tecnologia, Brasil, Sputnik V
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar