05:34 21 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    161329
    Nos siga no

    Ao sancionar o Orçamento de 2021, nesta sexta-feira (23), o presidente Jair Bolsonaro cortou recursos para o meio ambiente relacionados a mudanças do clima, controle de incêndios florestais e fomento a projetos de conservação.

    Na sanção, o presidente cortou quase R$ 240 milhões do Ministério do Meio Ambiente, conforme publicou o jornal Folha de S.Paulo.

    Na quinta-feira (22), durante a Cúpula de Líderes sobre o Clima, organizada pelo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, Bolsonaro garantiu ter determinado a duplicação dos recursos destinados a ações de fiscalização ambiental no Brasil.

    Segundo o jornal, com base em informações de interlocutores do presidente, a estimativa era de um aumento de, aproximadamente, R$ 115 milhões para a fiscalização ambiental.

    © Foto / Bruno Kelly / Amazônia Real
    Queimadas na Floresta Amazônica, em Porto Velho (RO)

    Além de não aparecer no orçamento, o incremento prometido no encontro internacional dependeria de corte em outras áreas. Isso porque a previsão orçamentária está no limite permitido pelo teto de gastos, regra fiscal que impede investimentos acima da inflação.

    Ainda de acordo com o jornal, integrantes da área econômica do governo disseram que, até a tarde desta sexta-feira (23), não houve pedido para ampliar os recursos da área ambiental.

    Eles confirmaram também que, para isso, será necessário discutir de onde a verba seria remanejada.

    Mais:

    Bolsonaro sanciona Orçamento com R$ 19,8 bilhões em vetos
    Presidente está em dúvida entre 2 nomes para vaga no STF, diz Flávio Bolsonaro
    Pazuello ganha novo cargo no governo Bolsonaro
    Tags:
    teto dos gastos, cortes, recursos, orçamento, Jair Bolsonaro, Brasil, Ministério do Meio Ambiente, meio ambiente
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar