21:47 01 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    0 21
    Nos siga no

    O Conselho de Administração da Petrobras elegeu em reunião nesta segunda-feira (12) o general Joaquim Silva e Luna para o cargo de membro do Conselho de Administração.

    O ex-diretor-geral da Itaipu Binacional foi indicado para ocupar a presidência da estatal pelo presidente Jair Bolsonaro em substituição a Roberto Castello Branco.

    Eduardo Bacellar Leal Ferreira foi reeleito presidente do Conselho de Administração até 2022, com 75,68% dos votos.

    Além de Ferreira, os sete eleitos para o conselho foram: Joaquim Silva e Luna, Sonia Julia Sulzbeck Villalobos, Cynthia Santana Silveira, Márcio Andrade Weber, Murilo Marroquim de Souza, Ruy Flaks Schneider e Marcelo Gasparino da Silva (escolhido pelos minoritários). As informações foram publicadas pelo portal G1.

    ​A reunião do novo Conselho de Administração da Petrobras que vai definir quem será o próximo presidente da empresa deve acontecer ainda nesta semana.  No encontro desta segunda-feira (11), também foi confirmada a destituição de Roberto Castello Branco.

    Em fevereiro, Bolsonaro passou a criticar a gestão de Castello Branco por conta do aumento de preços dos combustíveis e decidiu indicar o general Joaquim Silva e Luna para comandar a estatal.

    A troca foi mal recebida pelo mercado e fez com que a Petrobras perdesse R$ 100 bilhões em valor em apenas dois dias.

    Mais:

    Especialistas apelam por vacinação contra a gripe, mas alertam: 'Não há efeito contra a COVID-19'
    Brasil registra pior média móvel diária de mortes desde o início da pandemia com 3.125 óbitos
    Brasil 'ignorado' por comitiva de Biden: especialista vê sinal negativo e recado ao governo
    Rosa Weber derruba trechos de decretos de Bolsonaro sobre porte e posse de armas
    Brasil cai para a 85ª posição no ranking global de PIB per capita, aponta FMI
    Tags:
    petróleo e gás, petróleo, Petrobras, estatal, presidência, presidente, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar