14:28 11 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Situação da COVID-19 em meados de abril no Brasil (74)
    0 60
    Nos siga no

    O Brasil registrou 1.738 novas mortes pela COVID-19 e 38.866 novos casos da doença nesta segunda-feira (12). Com isso, o país chegou a 355.031 óbitos e a 8.326.115 de pessoas infectadas pelo novo coronavírus.

    De acordo com os dados coletados até as 20h, divulgados pelo consórcio de imprensa, a média móvel de mortes nos últimos sete dias é de 3.125, um recorde desde o início da pandemia. O valor da média representa um aumento de 15% em relação ao dado de 14 dias atrás.

    Já a média móvel de casos nos últimos sete dias foi de 71.174 novos diagnósticos por dia. O número representa uma variação de -6% em relação aos casos registrados em duas semanas.

    ​​Os dados mostram que 11 estados e o Distrito Federal estão com alta nas mortes: Amapá, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Piauí, Paraná, Rio de Janeiro e São Paulo.

    O balanço da vacinação contra a COVID-19 aponta que 23.847.792 pessoas já receberam a primeira dose de vacina contra o novo coronavírus. O número representa 11,26% da população brasileira.

    A segunda dose já foi aplicada em 7.391.544 pessoas (3,49% da população do país) em todos os estados e no Distrito Federal. No total, 31.239.336 doses foram aplicadas em todo o país.

    Tema:
    Situação da COVID-19 em meados de abril no Brasil (74)

    Mais:

    Flávio Bolsonaro aciona Conselho de Ética após senador vazar conversa com o presidente
    Brasil é grato à Rússia por permitir que a Anvisa inspecione a produção da Sputnik V, diz embaixador
    Cooperação comercial russo-brasileira mantém nível 'aceitável' na pandemia, diz embaixador
    Brasil 'ignorado' por comitiva de Biden: especialista vê sinal negativo e recado ao governo
    Tags:
    imunização, imunizante, vacinação, vacina, pandemia, mortes, morte, casos confirmados, novo coronavírus, Brasil, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar