17:19 25 Julho 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    1150
    Nos siga no

    O delegado Henrique Damasceno, responsável pela investigação da morte do menino Henry Borel, afirmou nesta quinta-feira (8) que "não resta a menor dúvida" de que o vereador Dr. Jairinho foi o autor das agressões que levaram à morte do garoto.

    De acordo com a polícia, a mãe de Henry, Monique Medeiros, foi conivente com o crime, protegendo o namorado e sendo omissa em relações às agressões contra o menino. O casal foi preso e indiciado por homicídio duplamente qualificado.

    "Não resta a menor dúvida, em relação aos elementos que nós temos, sobre a autoria do crime, dos dois", disse o delegado.

    As declarações do delegado foram dadas em coletiva de imprensa, realizada nesta quinta-feira (8) ao lado de membros da Polícia Civil e do Ministério Público.

    Damasceno informou que não vê a possibilidade de que Monique tenha sido ameaçada por Jairinho. O delegado afirmou ainda que a investigação segue aberta, mas que já há "provas muito fortes, muito convincentes, a respeito de toda essa dinâmica e da participação de cada um deles" na morte de Henry.

    O caso do menino Henry Borel

    Filho de Leniel Borel e Monique Medeiros, Henry Borel, de 4 anos, foi encontrado morto na madrugada de 8 de março no apartamento em que Monique vivia com o vereador Dr. Jairinho.

    O casal levou o menino ao hospital alegando que ele havia sofrido um acidente em casa e que estava "desacordado e com os olhos revirados e sem respirar" quando o encontraram.

    A necropsia, no entanto, apontou que a causa da morte de Henry foi hemorragia interna e laceração hepática causada por uma ação violenta.

    A Polícia Civil fez, no dia 1º de abril, a reconstituição da morte do menino Henry Borel, de 4 anos, morto no dia 8 de março no Rio de Janeiro
    A Polícia Civil fez, no dia 1º de abril, a reconstituição da morte do menino Henry Borel, de 4 anos, morto no dia 8 de março no Rio de Janeiro

    A investigação da polícia revelou que Dr. Jairinho torturou Henry semanas antes da morte do menino. Uma troca de mensagens recuperada pela polícia – que havia sido deletada por Monique – mostra a babá de Henry, Thayná de Oliveira Ferreira, narrando as agressões para a mãe da criança, em 12 de fevereiro.

    Nesta quinta-feira (8), Jairinho e Monique foram presos e não falaram nada ao serem detidos. A defesa de ambos ainda não se manifestou. O vereador foi afastado do partido Solidariedade.

    O pai do garoto, Leniel Borel, se pronunciou após a prisão da ex-mulher e de Jairinho: "Esta infeliz matou meu filho. Meu filhinho deve ter sofrido muito", disse ele, segundo o G1.

    Mais:

    Vidas de crianças argentinas serão 'ceifadas com anuência do Estado', afirma Bolsonaro sobre aborto
    Governo brasileiro investiga mortes de 9 crianças yanomamis com suspeita de COVID-19
    Número de crianças internadas com COVID-19 cresce 47% em hospitais privados de São Paulo
    EUA abrem base militar para abrigar número cada vez maior de crianças migrantes
    Tags:
    polícia, delegado, Prisão, crime, Brasil, Rio de Janeiro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar