23:39 17 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    COVID-19 no Brasil no início de abril de 2021 (87)
    82813
    Nos siga no

    De acordo com o jornalista Igor Gadelha, presidente brasileiro quer "resolver o impasse" que impede a liberação do imunizante Sputnik V para o Brasil.

    Diante do impasse entre a Anvisa e a União Química, laboratório no Brasil que produz a vacina Sputnik V, o presidente Jair Bolsonaro quer assumir as negociações para compra do imunizante diretamente com o presidente da Rússia, Vladimir Putin.

    Segundo informações da CNN, ele pretende ligar para Vladimir Putin nesta terça-feira (6). A publicação sustenta que a ligação será um gesto "no mais alto nível diplomático" para tentar "resolver o impasse" que impede a liberação do imunizante pela Anvisa.

    A conversa de Bolsonaro e Putin é vista como uma tentativa do presidente brasileiro de assumir o protagonismo na negociação para a liberação da vacina, até então concentrado nos governadores.

    Presidente da Rússia, Vladimir Putin durante videoconferência com o Conselho de Relações Exteriores, 30 de março de 2021
    © Sputnik / Aleksei Druzhinin
    Presidente da Rússia, Vladimir Putin durante videoconferência com o Conselho de Relações Exteriores, 30 de março de 2021

    Neste sentido, importante recordar que o ex-presidente Lula também participou de uma reunião para aquisição de doses da vacina russa Sputnik V em novembro de 2020.

    Foi por meio desta conversa, inclusive, que nasceu o "Consórcio do Nordeste", que adquiriu a compra de 37 milhões de doses do imunizante. Destas, o primeiro lote é prometido para abril.

    Na semana passada, a Anvisa recebeu pedidos de importação da Sputnik V de nove estados brasileiros: Acre, Bahia, Ceará, Maranhão, Mato Grosso, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Piauí e Sergipe.

    Vale lembrar que, desde 6 de março, o laboratório brasileiro que produz a Sputnik V pediu à Anvisa autorização para uso emergencial de dez milhões de doses da vacina.

    No dia seguinte, porém, a agência brasileira informou ter suspendido o prazo para analisar o pedido de uso do imunizante por falta de parte dos documentos exigidos para análise. Segundo o painel de informações da Anvisa, o laboratório ainda não apresentou 18,6% dos documentos necessários e outros 27,7% ainda precisam de complementação.

    Vacina Sputnik V produzida no Brasil, pela União Química
    Vacina Sputnik V produzida no Brasil, pela União Química

    Tema:
    COVID-19 no Brasil no início de abril de 2021 (87)

    Mais:

    Departamento de Saúde dos EUA confirma que pressionou Brasil contra vacina russa Sputnik V
    Rússia critica os EUA por pressionarem Brasil a não comprar Sputnik V
    Brasil já soma 330.193 mortes ligadas à COVID-19, segundo Conass
    Tags:
    vacinação, vacina, Sputnik V, Rússia, Vladimir Putin, pandemia, Jair Bolsonaro, Brasil, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar