01:50 26 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    124410
    Nos siga no

    O banqueiro Ricardo Lacerda, sócio-fundador do BR Partners Banco de Investimento, disse que a elite empresarial deveria fazer um mea-culpa sobre apoio que deu para eleição de Jair Bolsonaro. 

    Recentemente, um grupo de banqueiros, empresários e economistas escreveu carta aberta, que já reuniu mais de 1.500 assinaturas, contra o governo Bolsonaro e a favor da democracia. 

    "Acho que foi um movimento genuíno, de pessoas perplexas com tanta incompetência, descaso e patifaria. É óbvio que a elite empresarial brasileira precisa fazer uma reflexão, um mea-culpa sobre o apoio que deu a alguém que, analisando de maneira simples e direta, não tem a menor qualificação para o cargo que ocupa. Isso, para mim, sempre foi claro e agora está absolutamente comprovado", disse Lacerda em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo. 

    O banqueiro, um dos principais nomes do mercado financeiro do país, afirmou ainda que a "ânsia de evitar" um novo governo petista acabou prejudicando o país.

    "Havia bons candidatos no primeiro turno em 2018. Mas, na ânsia de evitar o PT, muita gente séria acabou votando em Bolsonaro ainda no primeiro turno. Está aí a origem do desastre que vivemos hoje", argumentou. 

    Lula: críticas e elogios

    Sobre as eleições de 2022, Lacerda disse que considera o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva "uma opção ruim", mas, ao mesmo tempo, elogiou seu primeiro mandato. Lacerda afirmou ainda que, "se voltar o Lula de 2002", "podemos ter um cenário benigno". 

    "Acho Lula uma opção ruim. É um nome mais ligado ao passado do que ao futuro. Precisamos de uma liderança nova. Mas ele já foi presidente e fez um ótimo primeiro mandato. Se voltar o Lula de 2002, cercado de pessoas competentes, mantendo as alas ideológicas e fisiológicas do PT mais afastadas, abraçando uma agenda de equilíbrio fiscal, podemos ter um cenário benigno", avaliou.

    O banqueiro disse também que um segundo turno entre Lula e Bolsonaro "seria péssimo para o país", mas, "se sobrarem essas duas opções, teremos que avaliar como terão chegado até lá, quais suas sinalizações, seus compromissos em direção ao centro". 

    Mercado 'comprou discurso liberal'

    Lacerda criticou Bolsonaro e disse que, em 2018, o mercado "comprou o discurso liberal" do então candidato. 

    "O mercado sempre faz uma análise superficial, avalia as opções mais imediatas e cria sua narrativa. Comprou o discurso liberal do Bolsonaro, ainda que seu comportamento em três décadas de Congresso tenha sido exatamente o oposto. E, ao longo do seu mandato, Bolsonaro vem explodindo pontes, falando absurdos, promovendo insultos e cometendo erros grosseiros. Tudo isso reverbera mundo afora. Nunca tivemos nossa imagem internacional tão abalada", ponderou. 

    Mais:

    Como a intervenção de Bolsonaro no Banco do Brasil afeta a empresa?
    PT nas eleições de 2022: 'Lula é o melhor candidato que nós temos', diz Gleisi Hoffmann
    STF marca para 14 de abril julgamento de recurso contra anulação das condenações de Lula
    Advogados de Lula pedem que STF declare suspeição de Moro em outras 2 ações
    Tags:
    Jair Bolsonaro, mercado, empresários, eleições, Lula, PT
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar