18:07 12 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    COVID-19 no Brasil no início de abril de 2021 (87)
    170
    Nos siga no

    No mês de março, o Amazonas registrou uma queda de 80% no número de mortes por COVID-19 na comparação com janeiro deste ano, quando o sistema de saúde do estado entrou em colapso.

    No terceiro mês do ano, o pior da pandemia no território nacional, o Amazonas teve 670 óbitos causados pela doença. Em janeiro, foram 3.556 vítimas.

    Os dados são do boletim epidemiológico da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), conforme noticiou o G1.

    Em todo o Brasil, o número de mortes subiu de 29.558 para 66.868 entre os dois meses, um aumento de 126%.

    Em janeiro, o Amazonas sofreu com a disseminação da nova cepa P1, que surgiu em Manaus. Com a alta demanda por leitos, o estado ficou sem oxigênio para atender a todos os pacientes e muitos morreram na fila de espera por vagas.

    Familiares de pacientes hospitalizados com COVID-19 em torno de tanques de oxigênio vazios em Manaus
    © AP Photo / Edmar Barros
    Familiares de pacientes hospitalizados com COVID-19 em torno de tanques de oxigênio vazios em Manaus

    Por isso, já no dia 2 de janeiro, o Amazonas fechou o comércio não-essencial no estado. As flexibilizações só começaram em 22 de fevereiro.

    Até o momento, segundo especialistas, o processo de vacinação ainda não foi capaz de ajudar a reduzir os níveis de transmissão. O Amazonas já aplicou a primeira dose da vacina em 10,22% de sua população. Apenas 3,11% receberam a segunda dose.

    Tema:
    COVID-19 no Brasil no início de abril de 2021 (87)

    Mais:

    Brasil: senadores comentam pedido de ajuda internacional para combater a COVID-19
    Brasil passa por 'situação muito séria' da pandemia da COVID-19, alerta OMS
    COVID-19: Rio de Janeiro terá medidas restritivas flexibilizadas semana que vem
    Tags:
    mortes, comércio, restrições, Amazonas, Manaus, pandemia, novo coronavírus, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar