01:45 26 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    COVID-19 no Brasil no início de abril de 2021 (87)
    293
    Nos siga no

    O Conselho Nacional de Saúde se manifestou contra o projeto de lei que visa autorizar a iniciativa privada a adquirir e distribuir vacinas contra a COVID-19 no Brasil.

    "Querem transformar o PL numa lei que substitui e garante o fura-fila oficializado, camarote VIP da vacina ao nosso país, tirando a obrigatoriedade, inclusive quando for permitido, de doação para o Sistema Único de Saúde [SUS] daquilo que for adquirido", disse o presidente do CNS, Fernando Pigatto, em vídeo publicado pela entidade no Facebook.

    Em discussão no Congresso, o projeto, de relatoria da deputada Celina Leão (PP-DF), viabiliza a aquisição de imunizantes por empresários, sem mais a obrigatoriedade de ceder uma parte ao Sistema Único de Saúde (SUS).

    A intenção do texto é permitir que as empresas vacinem funcionários e seus familiares.

    A proposta alteraria a Lei nº 14.125, que passou a permitir a compra de imunizantes desde que um percentual das doses fosse doada ao SUS.

    Nesta quarta-feira (31), o presidente da Câmara do Deputados, Arthur Lira (PP-AL), defendeu a proposta. Para o parlamentar, não há conflitos de interesse na entrada do setor privado no processo de aquisição de imunizantes.

    Lira alega que os empresários podem dar celeridade à compra e aplicação de doses.

    Tema:
    COVID-19 no Brasil no início de abril de 2021 (87)

    Mais:

    COVID-19: Brasil terá pouco mais da metade das vacinas previstas em abril, diz ministro
    Pfizer/BioNTech anunciam eficácia de 91,3% de sua vacina, sendo menor que declarada há 6 meses
    Lockdown é remédio amargo que salva vidas, diz chefe de Conselho de Saúde de Araraquara
    Tags:
    empresas, saúde, COVID-19, novo coronavírus, vacina, vacinação, imunização, compra, imunizante
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar