19:07 21 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    COVID-19 no final de março de 2021 no Brasil (116)
    2187
    Nos siga no

    A Anvisa decidiu nesta quarta-feira (31) pela aprovação do pedido de uso emergencial da vacina da Janssen, empresa do grupo Johnson & Johnson, contra a COVID-19.

    O uso emergencial da vacina da Janssen havia sido solicitado pela farmacêutica na última quarta-feira (24). A aprovação do uso imunizante permite que a vacina seja aplicada à população brasileira.

    De acordo com a diretora da Anvisa, Meiruze Souza Freitas, que foi a relatora do pedido, considerando o atual estado de emergência, as incertezas existentes em relação à vacina "podem ser resolvidas por meio de específicas, incluindo a continuação do estudo clínico principal pelo maior tempo possível, estudo de eficácia após aprovação e vigilância de rotina de segurança".

    "Essa relatoria conclui que os especialistas da Anvisa avaliaram que a vacina atende as expectativas dessa agência quanto aos requisitos de qualidade, segurança e eficácia para autorização dessa vacina no contexto do uso emergencial", disse ela. 

    A diretora da Anvisa lembrou que a vacina da Janssen já foi aprovada para uso emergencial pela Organização Mundial da Saúde (OMS), apela Administração de Drogas e Alimentos (FDA, na sigla em inglês), pela agência canadense de medicamentos e pela Agência Europeia de Medicamentos (EMA).

    Vacina contra a COVID-19 fabricada pela Janssen, empresa do grupo Johnson & Johnson.
    © REUTERS / Shannon Stapleton
    Vacina contra a COVID-19 fabricada pela Janssen, empresa do grupo Johnson & Johnson.
    A acordo com a Janssen prevê a entrega de 38 milhões de doses. A primeira leva será fornecida entre julho e setembro com 16,9 milhões de doses. Em seguida, de outubro a dezembro, deverão ser entregues outras 21,1 milhões de doses.   

    Durante a reunião também será avaliada a solicitação do Ministério da Saúde para autorização de importação e distribuição da vacina do laboratório indiano Bharat Biotech, a Covaxin.

    Tema:
    COVID-19 no final de março de 2021 no Brasil (116)

    Mais:

    Brasil tem 3.668 mortes por COVID-19 e bate novo recorde em 24 horas
    Butantan e Fiocruz preveem entrega de 27 milhões de doses de vacina em abril
    Virologista diz que testagem para COVID-19 no Brasil ainda está longe do recomendado pela OMS
    Estudo: 7 em cada 10 hospitalizados por COVID-19 mantêm sequelas 5 meses após alta
    Tags:
    COVID-19, novo coronavírus, vacina, vacinação, Janssen Vaccins, Johnson & Johnson, pandemia, Anvisa
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar