02:00 06 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Por
    COVID-19 no final de março de 2021 no Brasil (116)
    5123
    Nos siga no

    O Brasil ultrapassou, nesta segunda-feira (29), a marca de 21 milhões de vacinas contra a COVID-19 aplicadas – para Gonzalo Vecina Neto, fundador e primeiro diretor da Anvisa, o ritmo da vacinação no Brasil é "deplorável".

    O balanço da vacinação mostra que 16.258.743 pessoas (7,68% da população brasileira) receberam a primeira dose da vacina, enquanto 4.819.324 (2,28%) já estão imunizados com duas doses.

    Na comparação com outros países, o Brasil deixa muito a desejar. Por aqui, são 8,33 doses aplicadas a cada 100 habitantes – muito atrás, por exemplo, das 42,9 doses dos EUA, das 20,68 do Marrocos ou das 34,15 da Sérvia (em números do painel Our World in Data). O Brasil fica atrás também de países vizinhos: o Chile tem 50,46 doses aplicadas a cada 100 habitantes, enquanto o Uruguai tem 14,69.

    "Falta vacina. Tivemos apenas o Butantan produzindo em sua capacidade total e a Fiocruz teve problemas no envase da vacina. Só vamos ter uma produção em toda sua capacidade por volta do final de abril, início de maio", diz Vecina Neto em entrevista à Sputnik Brasil.
    O governador de São Paulo, João Doria, e o diretor do Butantan, Dimas Covas, durante entrevista sobre a liberação de mais 3,3 milhão de doses da Coronavac pelo Instituto Butantan ao Ministério da Saúde, no dia 15 de março de 2021.
    O governador de São Paulo, João Doria, e o diretor do Butantan, Dimas Covas, durante entrevista sobre a liberação de mais 3,3 milhão de doses da Coronavac pelo Instituto Butantan ao Ministério da Saúde

    O sanitarista acredita que, operando em capacidade ideal, o Brasil conseguirá produzir 45 milhões de doses de vacina por mês. Ainda assim o país continuará dependendo da importação de vacinas, como faz atualmente – muito aquém do que o Brasil é capaz de fazer, segundo Vecina Neto.

    O fundador da Anvisa, que afirma que o Brasil tem 38 mil salas de vacinação, faz uma conta simples. Se a cada dez minutos uma vacina for aplicada, seriam 48 vacinas aplicadas por dia em cada sala. Em 20 dias úteis, o país poderia vacinar, portanto, 36 milhões de pessoas.

    "O Programa Nacional de Imunização tem um poder muito grande, só que nada funciona sem comando. E o problema deste governo é comando, não tem comando. […] Sem governo federal não vamos conseguir andar com o processo de vacinação. O problema do Brasil é falta de vacina. A hora que a vacina chegar, será falta de gestão", avalia o fundador da Anvisa.
    Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, gesticula durante cerimônia no Palácio do Planalto, Brasília, 25 de março de 2021
    © REUTERS / Ueslei Marcelino
    Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, gesticula durante cerimônia no Palácio do Planalto, Brasília, 25 de março de 2021

    Jair Bolsonaro trocou o ministro da Saúde em meio ao pior momento da pandemia no Brasil e anunciou a criação de um comitê para combater a COVID-19 apenas um ano depois do início da pandemia.

    Nesta segunda-feira (29), o Instituto Butantan entregou ao governo federal mais cinco milhões de doses da vacina CoronaVac. Esta quantidade faz parte das 11 milhões de doses prometidas pelo ministro Marcelo Queiroga para esta semana.

    Também hoje (29), o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS) pediu à Organização Mundial da Saúde (OMS) que o Brasil seja priorizado no recebimento de vacinas via COVAX.

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Tema:
    COVID-19 no final de março de 2021 no Brasil (116)

    Mais:

    COVID-19 entre jovens de 30 a 39 anos aumenta 565% só em 2021, aponta Fiocruz
    Mourão toma 1ª dose de vacina contra a COVID-19: 'Fiz minha parte como cidadão consciente'
    Quem pegar COVID-19 na Páscoa provavelmente não poderá ser hospitalizado, alerta médico
    COVID-19: por que a crise em São Paulo é tão preocupante?
    Tags:
    Jair Bolsonaro, vacinação, vacina, novo coronavírus, pandemia, COVID-19, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar