18:26 16 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    COVID-19 no final de março de 2021 no Brasil (116)
    0 121
    Nos siga no

    Três vacinas nacionais contra a COVID-19 avançaram para a fase de pré-testes, conforme anunciou nesta sexta-feira (26) o ministro de Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes.

    "O ministério investiu em 15 protocolos, tecnologias diferentes de vacina aqui no Brasil. Nós temos cientistas de altíssimo gabarito aqui no país. A boa notícia é que três dessas vacinas avançaram para pré-teste, vamos chamar assim. Agora, estão entrando para fase de testes com voluntários", declarou o ministro em conversa com jornalistas em Brasília, citado pelo UOL.

    De acordo com Pontes, na última quinta-feira (25), foi protocolado o pedido de uma dessas candidatas, desenvolvida pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). 

    Homem faz apelo em prol da vacinação contra a COVID-19 durante manifestação no Rio de Janeiro, Brasil, nesta sexta-feira, 26 de março de 2021
    © REUTERS / RICARDO MORAES
    Homem faz apelo em prol da vacinação contra a COVID-19 durante manifestação no Rio de Janeiro, Brasil, nesta sexta-feira, 26 de março de 2021

    Nesta manhã, o governo de São Paulo anunciou que pretende iniciar, em abril, testes com voluntários da vacina ButanVac, produzida pelo Instituto Butantan, contra a COVID-19. Se esse pedido for aceito pela Anvisa, a expectativa é a de que a distribuição desse possível imunizante comece já no mês de julho

    Atualmente, o Brasil produz duas vacinas desenvolvidas por parceiros estrangeiros contra o novo coronavírus. Uma delas é a chinesa CoronaVac, sob responsabilidade do Butantan, e a outra é a vacina da AstraZeneca, fruto de uma parceria com a Universidade de Oxford, no Reino Unido, que está sendo produzida pela Fundação Oswaldo Cruz.

    Tema:
    COVID-19 no final de março de 2021 no Brasil (116)

    Mais:

    COVID-19: quem mais vacina no mundo?
    AstraZeneca: quais países interromperam e quais retomaram o uso da vacina?
    Custo de produção da ButanVac é baixo e Brasil ainda pode exportar a vacina, afirma imunologista
    Tags:
    São Paulo, Marcos Pontes, Instituto Butantan, novo coronavírus, imunizante, vacina, COVID-19, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar