15:31 15 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Situação com coronavírus no Brasil em meados de março de 2021 (116)
    1410
    Nos siga no

    Nesta quinta-feira (18), o presidente Jair Bolsonaro minimizou os frequentes recordes de mortes pela COVID-19 registrados no Brasil.

    Em conversa com apoiadores na saída do Palácio da Alvorada, Bolsonaro insinuou que nenhum país está se saindo bem no combate à pandemia.

    "A gente pergunta aí, qual país do mundo que está tratando bem a questão da COVID-19? Aponte um. Em todo local está morrendo gente. Agora, aqui virou uma guerra contra o presidente", afirmou o presidente a apoiadores, conforme publicado pelo UOL.

    O presidente respondeu também às críticas de que o governo federal não está comprando vacinas contra a COVID-19. Como já fez outras vezes, Bolsonaro disse que não há mais imunizantes à venda, por conta da alta demanda de compra em todo o mundo.

    "Me apresente um país onde está dando certo o combate à COVID-19. Não tem. Esses caras que querem me derrubar o que fariam no meu lugar? 'Ah, comprar vacina'. Onde é que tem vacina para vender? Onde é que tem?", questionou o presidente.
    Senhora observa seringa com vacina contra a COVID-19 em centro de vacinação no Pacaembu, São Paulo, 3 de março de 2021
    © AP Photo / Andre Penner
    Senhora observa seringa com vacina contra a COVID-19 em centro de vacinação no Pacaembu, São Paulo, 3 de março de 2021

    Nesta quinta-feira (18), o presidente Jair Bolsonaro assinou duas medidas provisórias que possibilitam o pagamento de nova rodada do auxílio emergencial para cerca de 40 milhões de brasileiros. 

    De acordo com o ministro da Economia Paulo Guedes, o valor médio do benefício será de R$ 250.

    Tema:
    Situação com coronavírus no Brasil em meados de março de 2021 (116)

    Mais:

    Datafolha: 46% dos brasileiros querem impeachment de Jair Bolsonaro
    Entre Lula e Bolsonaro, presidente do PSDB diz que preferiria levar tiro
    Militantes são detidos em BSB após exibir faixa com suástica contra Bolsonaro
    Carta de Biden: efeito Lula pressiona, mas mudança de Bolsonaro não é 'factível', diz especialista
    Tags:
    Brasília, pandemia, novo coronavírus, vacina, COVID-19, Brasil, Jair Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar