20:27 12 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    4185
    Nos siga no

    Deputados do centrão estão insatisfeitos com a escolha do cardiologista Marcelo Queiroga para o Ministério da Saúde. Publicação aponta que há uma mobilização para dificultar a vida de Bolsonaro na Câmara.

    Parlamentares do centrão discutem dificultar pautas do governo na Câmara após o presidente Jair Bolsonaro ter ignorado as sugestões do bloco para o comando do Ministério da Saúde. As informações são da Folha de São Paulo.

    A publicação sustenta que deputados da base aliada, como do PP e do PL, defenderam a necessidade de dar um recado público ao presidente da República. A indicação de Queiroga teve o apoio do senador Flávio Bolsonaro.

    Vale lembrar que o uma das primeiras escolhas do centrão para o ministério foi o deputado federal Luiz Antonio Teixeira (PP), conhecido como Dr. Luizinho. A indicação foi refutada pois Bolsonaro queria um nome técnico.

    Em seguida, foi apresentado o nome da cardiologista ​Ludhmila Hajjar, que contou com a chancela pública do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL). Em meio aos ataques nas redes sociais, Bolsonaro e Ludhmila não se entenderam.

    ​Com a recusa, deputados do centrão ainda tentaram indicar outro nome, mas Bolsonaro se antecipou e escolheu Queiroga, indicado pelo seu filho mais velho. Segundo assessores palacianos, o novo ministro é amigo da família da esposa do senador.

    A avaliação de dirigentes do centrão é que, diante da necessidade de aprovação das reformas administrativa e tributária, era o momento de Bolsonaro acenar à base aliada, e não fazer uma escolha de caráter pessoal.

    Em reuniões na terça-feira (16), integrantes da base aliada lembraram que até mesmo em votações impopulares, como a possibilidade de congelamento do reajuste de servidores públicos, as legendas do centrão acabaram aceitando votar com o governo.

    A escolha de Queiroga gerou frustração entre aliados de Lira, para os quais Bolsonaro não reconheceu o apoio que o deputado federal tem dado à sua gestão.

    O presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, com o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, e do Senado, Rodrigo Pacheco, em Brasília
    © Folhapress / Pedro Ladeira
    O presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, com o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, e do Senado, Rodrigo Pacheco, em Brasília

    Mais:

    Brasil tem 3º dia seguido com mais de 2 mil mortes por COVID-19
    Brasil tem novo recorde na média móvel de mortes causadas pela COVID-19
    Brasileira com COVID-19 é retirada de avião em Lisboa pela polícia e impedida de voltar ao Brasil
    Brasil bate novo recorde na média móvel de mortes por COVID-19
    Tags:
    governo bolsonaro, Eduardo Bolsonaro, Flávio Bolsonaro, Jair Bolsonaro, Marcelo Queiroga, Eduardo Pazuello, Câmara dos Deputados, Câmara dos Deputados, Ministério da Saúde, Brasil, Arthur Lira
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar