04:09 31 Julho 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Situação com coronavírus no Brasil em meados de março de 2021 (116)
    130
    Nos siga no

    O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, anunciou que a vacinação no município será retomada nesta quinta-feira (18) após ser suspensa por falta de imunizantes. 

    A partir dessa data, homens e mulheres receberão as doses em dias separados. Na última quinta-feira (11), a prefeitura afirmou que a vacinação contra a COVID-19 teria que ser paralisada devido à falta de imunizantes disponíveis.

    Durante a suspensão, apenas as segundas doses estavam sendo aplicadas. A campanha foi interrompida quando o município iria começar a vacinar indivíduos de 75 anos. As autoridades alegaram alta procura e pouca disponibilidade de vacinas.

    Segundo a prefeitura, nesta quarta-feira (17) será a repescagem para os idosos de 76 anos e a segunda dose. Na quinta-feira (18), mulheres de 75 anos e, na sexta-feira (19), homens de 75 anos. No sábado (20) é a repescagem para todos.

    Por meio das redes sociais, Paes disse que a separação entre homens e mulheres foi adotada para evitar aglomerações.

    O secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, disse, segundo o jornal O Globo, que a ideia é adotar a separação até os indivíduos de 70 anos.

    "Estamos analisando uma forma para distribuir melhor a vacinação nas demais faixas etárias que seja de fácil compreensão para a população", afirmou Soranz.

    Produção em massa

    A vacinação pôde ser retomada após o estado do Rio receber mais 444 mil doses da CoronaVac fabricadas no Instituto Butantan. Embora não tenha sido divulgada a quantidade do lote destinado à capital, a expectativa das autoridades é de que o carregamento seja suficiente para dar continuidade ao programa de imunização pelo menos até sábado (20).

    No dia 8 de março, a Fiocruz anunciou que passará a produzir a vacina de Oxford/AstraZeneca em grande escala. O imunizante é o único a ter obtido registro definitivo da Anvisa no Brasil. 

    Pelo menos 3,8 milhões de doses do imunizante contra a COVID-19 serão entregues até o fim de março. Pelo calendário da instituição, 30 milhões de doses serão entregues até abril e, até meados do ano, a Fiocruz espera ter disponibilizado 100 milhões de doses.

    Tema:
    Situação com coronavírus no Brasil em meados de março de 2021 (116)

    Mais:

    Novo ministro da Saúde diz que Brasil vive 'nova onda da pandemia' e pede 'união'
    'Segura e eficaz': Fiocruz defende continuidade de uso da vacina da AstraZeneca
    Presidente é responsável por tudo o que aconteça, diz Mourão
    Tags:
    vacina, novo coronavírus, pandemia, COVID-19, Eduardo Paes, Rio de Janeiro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar