10:24 13 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    12739
    Nos siga no

    O presidente Jair Bolsonaro criticou nesta terça-feira (16) a prisão da ex-presidente interina da Bolívia Jeanine Áñez.

    A declaração foi feita durante reunião virtual do Foro para o Progresso da América do Sul (Prosul). Segundo o presidente, a alegação de que Áñez participou de um golpe de Estado contra Evo Morales é "totalmente descabida".

    "Nesse sentido, nos preocupam os acontecimentos em curso na Bolívia, nosso vizinho e país irmão, onde a ex-presidente Jeanine Áñez e outras autoridades foram presas sob a alegação de participação em golpe, que nos parece totalmente descabida. Esperamos que a Bolívia mantenha em plena vigência o Estado de Direito e a convivência democrática, disse Bolsonaro.

    Nesta segunda-feira (15), Áñez foi condenada a quatro meses de prisão temporária, acusada de sedição, conspiração e terrorismo. Os ex-ministros Álvaro Coimbra e Rodrigo Guzmán também receberam a mesma condenação.

    Combate à COVID-19, crime organizado e financiamento internacional

    Em sua fala de cerca de dez minutos, Bolsonaro abordou outros três pontos principais: os desafios impostos pela pandemia, a luta contra o crime organizado na América do Sul, e o desenvolvimento sustentável.

    O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e o ministro da Economia, Paulo Guedes, estiveram ao lado do presidente Bolsonaro durante a reunião, mas não se pronunciaram. Guedes foi o único que apareceu usando máscara facial.

    Ao falar da COVID-19, o presidente destacou que a pandemia "teve impactos severos sobre os níveis de emprego e renda em todo o mundo" e aproveitou para exaltar a criação do auxílio emergencial.

    "Trabalhamos para estender o auxílio emergencial do governo federal por mais alguns meses, até que consigamos superar a situação lamentável que temos ainda hoje", disse Bolsonaro.

    Bolsonaro chamou a atenção dos parceiros sul-americanos para a necessidade de combate ao crime organizado que, segundo ele, é "uma ameaça que continua a pairar sobre a nossa região".

    "Necessitamos redobrar nossos esforços conjuntos na luta contra o narcotráfico, o terrorismo e outras formas de criminalidade", alertou o presidente.

    Bolsonaro pediu a participação de investimentos privados em obras do governo para o desafogo da economia brasileira em meio à pandemia. O presidente juntou seu apelo ao do presidente colombiano Iván Duque, organizador da reunião virtual, para que os órgãos financeiros internacionais apoiem os esforços dos países da América do Sul no enfrentamento da COVID-19.

    Mais:

    Bolsonaro admite retornar ao PSL para disputar eleições de 2022
    Bolsonaro e a incerteza no mercado: 'Condições de risco no Brasil são elevadas', diz economista
    Bolsonaro determinou 'amplo debate' com comunidade médica, diz novo ministro da Saúde
    Após intimação, bolsonaristas querem ver Felipe Neto atrás das grades
    Tags:
    Bolívia, desenvolvimento sustentável, Crime organizado, COVID-19, Brasil, Jair Bolsonaro, Prosul
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar