03:42 17 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    0 32
    Nos siga no

    A Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED) autorizou um aumento de até 4,88% nos preços de remédios no país. A decisão é válida para mais de 19 mil medicamentos.

    O reajuste, publicado na edição do Diário Oficial da União desta segunda-feira (15), já pode ser aplicado pelas farmacêuticas.

    O Comitê Técnico-Executivo da CMED, que é vinculado à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), tomou a decisão do aumento em reunião na última sexta-feira (12), conforme publicado pelo G1.

    É por meio da entidade que o governo controla os preços de medicamentos periodicamente, determinando o valor máximo para cada produto.

    Fachada do edifício sede da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).
    © Foto / Marcelo Camargo/Agência Brasil
    Fachada do edifício sede da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

    Desta vez, o ajuste ocorreu 15 dias antes do habitual. Uma resolução da CMED estabelece que os preços devem ser alterados em 31 de março de cada ano.

    O governo não esclareceu o motivo da antecipação.

    Em 2020, devido ao início da pandemia de COVID-19 no Brasil, o governo adiou a alteração anual em um acordo com a indústria farmacêutica. Os preços foram reajustados em até 5,21% em junho.

    Mais:

    Araújo defende parceria com Israel no desenvolvimento de 'vacinas e remédios' contra a COVID-19
    Governadores do Nordeste anunciam acordo para compra de 39,6 milhões de doses da Sputnik V
    Mesmo sem aval da Anvisa, governo já conta com vacina indiana para março
    Tags:
    Brasil, governo federal, indústria farmacêutica, reajuste, medicamentos, remédios, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar