14:37 17 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    142211
    Nos siga no

    A presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, Gleisi Hoffmann, revela em entrevista exclusiva à Sputnik planos do PT em relação à próxima eleição presidencial de 2022.

    Com a recente anulação das acusações contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na Operação Lava Jato pelo ministro Edson Fachin do Supremo Tribunal Federal (STF), o petista poderia tentar voltar para o Palácio da Alvorada em 2022.

    Após perder para Jair Bolsonaro na eleição presidencial de 2018, o PT poderia apostar em Lula para obter a Presidência do Brasil, que, segundo a deputada federal Hoffmann, seria o melhor candidato que o partido poderia oferecer.

    "O PT ainda vai decidir democraticamente junto com a sua direção e com o próprio presidente Lula a candidatura do partido para 2022. É óbvio que Lula é um grande candidato, o melhor candidato que nós temos. [...] E Lula tem um grande papel como grande líder, o que ele é, conhecedor do Brasil, [ele] conhece o povo e tem autoridade política e liderança para construir este movimento em 2021", afirmou Hoffmann em entrevista à Sputnik.

    Contudo, poderia ainda ser precoce o anúncio de Lula como candidato presidencial pela sigla.

    "Mas os assuntos serão discutidos no momento adequado, agora o nosso foco é trabalhar um grande movimento para enfrentar a crise brasileira, a crise da vacina, a crise da renda, a crise econômica, do desemprego", acrescentou.

    Se referindo à situação do país no momento, Hoffmann não perdeu a oportunidade de fazer críticas ao presidente Bolsonaro, rival político de longa data do PT.

    "A economia brasileira vai muito mal. O povo está sem meios [econômicos], o PIB caiu bastante, dificilmente vai se recuperar como deveria, e as medidas que o governo de Bolsonaro está tomando são o oposto do que deveria ser, do que o mundo está fazendo. [...] A gestão de Bolsonaro é um completo desastre, seja de uma perspectiva de saúde ou econômica."

    Da mesma forma, a deputada federal petista defendeu mais gastos do governo no momento atual de crise, como um caminho mais certo para enfrentá-la.

    "Eles estão fazendo um ajuste fiscal. Todos os outros países do mundo têm liberado dinheiro e aumentado gastos fiscais para enfrentar a crise. Vai ser muito ruim para o Brasil como está sendo feito", afirmou.

    Amazônia

    Falando ainda dos problemas atuais brasileiros, Hoffmann, cujo partido esteve 14 anos na direção do país, criticou o que seria, segundo ela, uma falta de política em defesa da Amazônia.

    "Infelizmente, a Amazônia não tem uma política de proteção e conservação. Até as Forças Armadas que estavam com uma força-tarefa de proteção da Amazônia já se retiraram de lá. Bolsonaro tem incentivado a plantação de soja, tem incentivado a invasão de garimpeiros e não está preocupado em proteger a Amazônia, inclusive de incêndios. Nós caminhamos para uma situação muito triste em relação à Amazônia, e a probabilidade de acontecer incêndios florestais e ter uma devastação maior na região é grande."

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Mais:

    Efeito cascata: defesa de Queiroz cita decisão pró-Lula e quer anulação de decisões
    Compra de caças: interrogatório de Lula é marcado para maio
    Bolsonaro comenta discurso de Lula: 'Ele não sabe o que fala, não tem argumentos'
    Tags:
    Jair Bolsonaro, Luiz Inácio Lula da Silva, Brasil, política, Partido dos Trabalhadores (PT), Gleisi Hoffmann
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar