01:21 27 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Situação com coronavírus no Brasil em meados de março de 2021 (116)
    170
    Nos siga no

    O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, afirmou nesta quinta-feira (11) que as unidades de emergência e urgência da cidade tiveram um aumento de 20% nos atendimentos.

    De acordo com o superintendente de vigilância em Saúde da secretaria municipal de Saúde, Márcio Garcia, houve uma inversão na tendência dos casos de COVID-19 nas últimas semanas por conta do aumento no número de atendimentos na rede.

    Do final do ano passado até janeiro, o Rio de Janeiro vivia uma tendência de redução nos atendimentos no postos de saúde. E entre o final de janeiro e fevereiro o cenário foi classificado como de estabilidade.

    Com a inversão na tendência em março, a prefeitura do Rio decidiu ampliar até o dia 22 de março as medidas de restrição na cidade após verificar um aumento nos atendimentos nas unidades de emergência.

    ​"Todas as medidas anunciadas na semana passada, mantidas e ampliadas hoje, umas com algum grau de flexibilização, são preventivas. Nós não vamos ficar esperando lotar as emergências, as UTIs e os hospitais e as pessoas começarem a morrer", disse o prefeito Eduardo Paes.

    "Os números de hoje apontam para uma situação difícil daqui a um tempinho. É uma semana? São dez dias? Torço para que nem venha, mas a gente tem que evitar. Por isso se toma atitude. Evita agora para não ter que ficar chorando a morte de ninguém depois. Para que, da gente, não tenha um genocídio", acrescentou.

    De acordo com Eduardo Paes, a prefeitura passou a considerar os dados dos atendimentos porque eles permitem uma ação preventiva em relação à pandemia.

    "A gente tem uma ampliação no número de casos de pessoas que procuram os atendimentos de saúde com sintomas da COVID-19. É esse o número que nos faz tomar medidas preventivas. Não vamos esperar a curva de mortes subir para que nós tomemos qualquer atitude. O que estamos fazendo neste momento é evitar que a curva de mortes suba em qualquer hipótese", completou Paes.

    Tema:
    Situação com coronavírus no Brasil em meados de março de 2021 (116)

    Mais:

    Novo medicamento reduz em 85% hospitalizações e mortes por COVID-19, diz estudo
    Governadores propõem novo pacto de combate à COVID-19
    Após lockdown, cidade em SP tem queda de 37% na média móvel de casos de COVID-19
    Mais um recorde: 2.349 pessoas morreram pela COVID-19 no Brasil nas últimas 24 horas
    Tags:
    COVID-19, Rio de Janeiro, Brasil, Eduardo Paes, pandemia, alerta
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar