19:16 24 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Coronavírus no Brasil no início de março de 2021 (92)
    2715
    Nos siga no

    Na saída do Palácio da Alvorada, o presidente atacou governadores, citou o ex-candidato às eleições de 2018 Fernando Haddad e não comentou sobre o ex-presidente Lula, que voltou a estar elegível.

    O presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar, nesta quarta-feira (10), as medidas de isolamento como combate ao coronavírus. Segundo ele, a "política do lockdown, que começou no ano passado, não era pra salvar vidas, era para dar tempo aos hospitais se reequiparem", conforme noticiado pelo Estadão.

    Bolsonaro afirmou ainda que o "povo está sofrendo" e que "está havendo abusos" com as políticas de "fecha tudo".

    "Demos bilhões de reais para estados e municípios. Alguns investiram bem os recursos, outros, não. Um dos estados, o Maranhão, é um dos que receberam muitos bilhões também. O governador lá Flávio Dino (PCdoB) pagou a folha de salário e muita coisa, mas não investiu na Saúde. Não quero falar que não investiu: ou investiu muito pouco ou quase nada. Não investiu o necessário o Maranhão na Saúde", disse o presidente na saída do Palácio da Alvorada.
    Movimentação no Hospital Regional do Oeste, na cidade de Chapecó, em Santa Catarina. Hospitais do estado estão lotados devido à pandemia do coronavírus
    © Folhapress / MoniaCris/iShoot
    Movimentação no Hospital Regional do Oeste, na cidade de Chapecó, em Santa Catarina. Hospitais do estado estão lotados devido à pandemia do coronavírus

    Para Bolsonaro, alguns governadores usam o coronavírus politicamente e aproveitou para citar Fernando Haddad (PT), candidato derrotado nas eleições de 2018.

    "Imaginem se fosse o Haddad presidente? Nem precisava que os governadores pedissem fechamento", afirmou.

    O presidente não se manifestou sobre a decisão da última segunda-feira (8) do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin de anular todas as condenações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que recuperou seus direitos políticos e voltou a poder disputar eleições.

    Tema:
    Coronavírus no Brasil no início de março de 2021 (92)

    Mais:

    Brasil registra 1.954 mortes em 24 horas por COVID-19 e país bate novo recorde
    COVID-19: variante britânica tem mortalidade até 100% superior a outras cepas, diz estudo
    Após lockdown, cidade em SP tem queda de 37% na média móvel de casos de COVID-19
    Tags:
    COVID-19, novo coronavírus, pandemia, hospitais, Jair Bolsonaro, Fernando Haddad, Luiz Inácio Lula da Silva, vírus
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar