11:30 13 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    212
    Nos siga no

    O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, sugeriu nesta terça-feira (9) que o governo está estudando alternativas para "blindar" os caminhoneiros dos constantes aumentos no preço do diesel.

    Freitas participou de um debate promovido por uma corretora de investimentos. Durante a transmissão, o ministro negou que haja planos no governo de interferir na política de preços dos combustíveis.

    "É uma premissa. Não há nenhuma possibilidade de a gente interferir [na estatal]. A gente pode tentar pensar em algumas medidas que são estruturais, são medidas de mais médio prazo, e que proporcionem alguma blindagem contra possíveis flutuações [no diesel], sem obviamente interferir na política de preços da Petrobras", afirmou.

    Nesta segunda-feira (8), a Petrobras anunciou a quinta alta consecutiva do diesel nas refinarias, e a sexta da gasolina. O preço médio de venda do diesel passará a média de R$ 2,86 por litro, aumento de R$ 0,15 por litro, enquanto a gasolina passará a ser de R$ 2,84 por litro, alta de R$ 0,23 por litro.

    ​Entre as medidas avaliadas pelo Ministério da Infraestrutura para beneficiar os caminhoneiros, Freitas citou o aumento da segurança nas estradas; a criação de postos de parada e descanso; a maior facilidade para contratação direta do serviço de transporte; e a flexibilização de meios de pagamento.

    "A ideia é modernizar isso. Transformar, condensar todos esses documentos em um documento único, eletrônico, que o caminhoneiro vai portar no seu celular", explicou o ministro sobre a facilitação de meios de pagamentos.

    Em fevereiro, o presidente Jair Bolsonaro anunciou que não reconduziria o atual presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, ao cargo. Para a vaga, o presidente indicou o general Silva e Luna, que estava no comando de Itaipu.

    Mais:

    Bosch traz produção dos EUA para o Brasil: medida reflete força do mercado nacional, diz analista
    Bolsonaro é o melhor adversário para Lula, mas 'recíproca não é verdadeira', diz cientista político
    Aécio Neves será o presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara
    Brasil pede ajuda à China e admite que campanha de vacinação contra a COVID-19 pode parar
    Tags:
    greve de caminhoneiros, caminhoneiros, preços de combustíveis, combustível, preço da gasolina, preço do petróleo, preço do diesel, ministro, Tarcísio Freitas, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar