12:16 16 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Coronavírus no Brasil no início de março de 2021 (92)
    3101
    Nos siga no

    A mãe do presidente Jair Bolsonaro, Olinda Bunturi Bolsonaro, de 93 anos, recebeu nesta segunda-feira (8) a segunda dose da CoronaVac, no município de Eldorado, em São Paulo.

    Olinda recebeu a vacina em sua própria residência. A informação foi confirmada pela prefeitura da cidade, segundo o G1. A segunda dose foi aplicada 24 dias após a administração da primeira dose, no dia 12 de fevereiro.

    Em uma transmissão ao vivo pelas redes sociais no dia 18 de fevereiro, Jair Bolsonaro havia afirmado que Olinda tinha recebido, na verdade, o imunizante de Oxford/AstraZeneca. Segundo o presidente, o enfermeiro que aplicou a primeira dose em Olinda voltou à casa da mãe de Bolsonaro duas horas após a administração da vacina para rasgar o comprovante da vacinação com a injeção de Oxford e, no lugar, entregar um com a CoronaVac.

    No entanto, de acordo com informações do cartão de vacinação de Olinda, o número do comprovante da dose aplicada corresponde a um lote compatível com o imunizante do Instituto Butantan, vindo de São Paulo.

    Em coletiva de imprensa nesta segunda-feira (8), o governador de São Paulo, João Doria, confirmou a vacinação de Olinda Bolsonaro com a CoronaVac.

    "Quero registrar minha alegria com a notícia que Olinda Bolsonaro, 94 anos, acaba de receber a segunda dose da vacina do Butantan, a CoronaVac, em Eldorado. A senhora está salva com a vacina do Butantan. A senhora deu um exemplo de amor à vida", disse, se enganando sobre a idade da mãe do presidente.
    Presidente Jair Bolsonaro fala com a imprensa ao retornar ao Alvorada, em Brasília (DF)
    © Folhapress / Wagner Pires / Futura Press
    Presidente Jair Bolsonaro fala com a imprensa ao retornar ao Alvorada, em Brasília (DF)

    O Instituto Butantan é um dos principais fornecedores de vacinas para o Programa Nacional de Imunização contra a COVID-19. Na última quarta-feira (3), o Instituto liberou mais 900 mil doses da CoronaVac ao Ministério da Saúde.

    Além disso, na última sexta-feira (5), o Butantan enviou à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) uma solicitação para testar em humanos um soro anti-COVID-19.

    Tema:
    Coronavírus no Brasil no início de março de 2021 (92)

    Mais:

    Frente Nacional de Prefeitos repudia fala de Bolsonaro sobre vacina: 'Parece briga de crianças'
    FHC diz sentir 'certo mal-estar' por não ter votado em Haddad contra Bolsonaro
    Sem evidências, Bolsonaro diz que até o final do ano 'acabou o vírus'
    Governo Bolsonaro oficializa indicação de 6 pessoas para conselho da Petrobras
    Tags:
    Instituto Butantan, João Doria, Vacina CoronaVac, vacinação, Jair Bolsonaro, presidente, Brasil, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar