18:44 18 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    045
    Nos siga no

    O Diário Oficial do MPRJ desta quinta-feira (4) confirmou a extinção das atividades do Grupo de Atuação Especializada e Combate à Corrupção (Gaecc) e determinou a criação de novo núcleo no Gaeco.

    O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) determinou o fim do Grupo de Atuação Especializada e Combate à Corrupção (Gaecc), nesta quarta-feira (3), conforme noticiado pelo portal G1. Entre outros casos, o núcleo investigou a suspeita de "rachadinha" do senador Flávio Bolsonaro da época em que ele era deputado estadual na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj).

    O MPRJ também definiu que os trabalhos do Gaecc serão repassados a um departamento a ser criado dentro do Grupo de Atuação Especializada e Combate ao Crime Organizado (Gaeco). A decisão, assinada pelo procurador-geral de Justiça, Luciano Oliveira Mattos de Souza, foi confirmada no Diário Oficial do MPRJ nesta quinta-feira (4).

    A resolução aponta que o novo núcleo no Gaeco "atuará no combate às milícias, ao tráfico de drogas e à lavagem ou ocultação de bens" e ficará responsável por investigar crimes contra a administração pública, como os relacionados a licitações.

    No final de 2020, de acordo com o G1, 21 dos 22 promotores do Gaecc já haviam sido exonerados, e as vagas não foram preenchidas.

    Grafite em alusão ao suposto esquema de rachadinhas na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), envolvendo Flávio Bolsonaro e Fabrício Queiroz
    © Folhapress / Barbara Dias / Agif
    Grafite em alusão ao suposto esquema de rachadinhas na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), envolvendo Flávio Bolsonaro e Fabrício Queiroz

    Na investigação contra Flávio Bolsonaro, a estimativa é de desvio de R$ 6 milhões no suposto esquema, conhecido como "rachadinha", em que os funcionários devolvem parte dos salários ao parlamentar.

    Em informação revelada nesta semana pelo site O Antagonista, o senador Flávio Bolsonaro comprou uma mansão no valor de R$ 5,97 milhões em Brasília, no dia 29 de janeiro deste ano.

    Mais:

    Pesquisa: 58% desaprovam modo como Bolsonaro governa o país
    Bolsonaro veta trecho da MP que poderia agilizar a chegada da Sputnik V
    'No que depender de mim nunca teremos lockdown', diz Bolsonaro a apoiadores
    Tags:
    Flávio Bolsonaro, Rachadinha, Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, senador, Ministério Público do Rio de Janeiro, investigação, corrupção
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar