12:19 17 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Coronavírus no Brasil no início de março de 2021 (92)
    110
    Nos siga no

    Segundo boletim da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) publicado nesta terça-feira (2), nove estados do Brasil registram ocupação superior a 90% de leitos para COVID-19.

    Além da sobrecarga nos hospitais, o laboratório ressalta que esta é a primeira vez desde o início da pandemia que se verifica um agravamento simultâneo de diversos indicadores no Brasil, como o aumento do número de casos, de óbitos e de testes com resultado positivo para COVID-19.

    De acordo com o levantamento, entre os estados com alto índice de lotação nas UTIs estão: Santa Catarina (99%), Rondônia (97%), Ceará (93%), Pernambuco (93%), Acre (92%), Amazonas (92%), Paraná (92%), Rio Grande do Norte (91%) e Distrito Federal (91%).

    No total, 19 estados estão em nível de alerta crítico, com taxas de ocupação superiores a 80%, enquanto outros sete estados estão na zona intermediária, com entre 63% e 76% de leitos ocupados, e apenas o Sergipe está na zona de alerta baixo, com 59%.

    Já em relação às capitais, a pesquisa mostra que todas estão com taxa de ocupação de leitos de UTI para COVID-19 adulto acima de 72%, e 12 delas com índice superior a 90%: Porto Velho (100%), Florianópolis (98%), Curitiba (95%), Goiânia (95%), Teresina (94%), Natal (94%), Campo Grande (93%), Rio Branco (93%), Fortaleza (92%), Manaus (92%), Brasília (91%) e São Luís (91%).

    "Os dados são muito preocupantes, mas cabe sublinhar que são somente a 'ponta do iceberg'", afirmou a Fiocruz, citada pelo portal UOL.

    A Fundação Oswaldo Cruz também destaca que as taxas de ocupação da rede privada são inclusive maiores que as do Sistema Único de Saúde (SUS) e recomenda a adoção de medidas de restrição mais severas para a circulação de pessoas e também relativas ao funcionamento de atividades não essenciais.

    Além disso, o laboratório ainda pede que, na hora de tomar medidas, as autoridades precisam levar em consideração a situação epidemiológica de cada região e façam avaliações semanais "a partir de critérios técnicos, como taxas de ocupação de leitos e tendência de elevação no número de casos e óbitos".

    Tema:
    Coronavírus no Brasil no início de março de 2021 (92)

    Mais:

    Governadores pedem liberação rápida para produzir Sputnik V no Brasil
    O pior dia da pandemia no Brasil: país tem 1.726 mortes em 24 horas
    Colapso na saúde: SC e MG passam a transferir pacientes com COVID-19
    Tags:
    saúde, Sistema Único de Saúde (SUS), pandemia, internação, COVID-19, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar