14:06 17 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    151
    Nos siga no

    Com queda de 7,8% com relação a 2019, o país registrou 2,6 milhões a menos de empregos formais no ano passado. No trimestre encerrado em dezembro, a taxa de desemprego ficou em 13,9%.

    O número de trabalhadores com carteira assinada em 2020 foi o menor já registrado pela série histórica da pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), iniciada em 2012. A média anual ficou em 30,6 milhões de pessoas, de acordo com os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), divulgados nesta sexta-feira (26).

    A queda é de 7,8% com relação a 2019. Em números absolutos, são 2,6 milhões de empregos formais a menos em 2020. Em 2014, o total chegou a ser de 36,4 milhões.

    Só no 4º trimestre, o número de pessoas com carteira de trabalho assinada no setor privado foi estimado em 29,9 milhões, uma alta de 1,8% frente ao trimestre anterior. Porém, na comparação com o mesmo período de 2019, houve um recuo de 11,2%, com 3,8 milhões de pessoas a menos.

    Fila por emprego em feirão no vale do Anhangabaú, em São Paulo.
    © Folhapress / Danilo Verpa
    Fila por emprego em feirão no vale do Anhangabaú, em São Paulo

    A população ocupada caiu para 86,1 milhões na média anual, atingindo também o menor número da série anual. A redução foi de 7,3 milhões de pessoas no mercado de trabalho.

    "Pela primeira vez na série anual, menos da metade da população em idade para trabalhar estava ocupada no país. Em 2020, o nível de ocupação foi de 49,4%", informou Adriana Beringuy, analista do IBGE.

    A taxa de desemprego ficou em 13,9% no trimestre encerrado em dezembro. Ao todo, são 13,9 milhões sem trabalho.

    No mês, o IBGE registrou ainda 5,5 milhões de desalentados, ou seja, aqueles que desistiram de procurar emprego na classificação do instituto.

    Mais:

    Economista aponta caminhos e afirma: 'Não há como fugir da prorrogação do auxílio emergencial'
    Perda econômica gerada com cancelamento do Carnaval não será recuperada, aponta especialista
    Intervenção na energia: economista avalia interesses de Bolsonaro com mudanças no setor
    Tags:
    trabalho, IBGE, Brasil, carteira de trabalho, empregos, desemprego
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar