17:44 13 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    2130
    Nos siga no

    As redes de quinta geração no Brasil serão comercializadas nas grandes cidades até meados de 2022, e alargadas gradualmente até 2026, com uma rede exclusiva para o governo federal.

    A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) aprovou na quinta-feira (25) o edital para o leilão do 5G, escreve o jornal O Globo.

    A licitação, cuja data será definida pelo governo depois de análise pelo Tribunal de Contas da União, que também aprovará os valores do leilão, deve ocorrer ainda em 2021.

    A Anatel disse, citada pela mídia, que a comercialização das redes de quinta geração no país começará nas principais capitais 300 dias após a assinatura dos contratos, em julho de 2022, caso não haja atrasos, e será gradualmente alargada a cidades menores até 2026.

    Além disso, a empresa de telecomunicações chinesa Huawei não terá sua participação proibida, apesar da pressão exercida nesse sentido pelos EUA. Qualquer empresa que vença o leilão terá de construir uma rede de telecomunicações exclusiva para o governo federal, segundo uma portaria do Ministério das Comunicações.

    As redes de 5G proporcionam uma maior velocidade a seus usuários, mas também uma maior qualidade e interação entre dispositivos eletrônicos, que deverão ser integrados em uma rede chamada de Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês).

    Mais:

    Com o leilão de 5G do Brasil em pauta, STF julga se teles podem usar espaços públicos de graça
    Huawei 'já está no páreo' para vencer leilão do 5G no Brasil, diz especialista
    Teles consideram 'impagável' lista de exigências do governo brasileiro para leilão de 5G, diz jornal
    Anatel adia para dia 24 decisão final sobre edital para 5G
    Tags:
    Ministério das Comunicações, EUA, Tribunal de Contas da União, Anatel, Agência Nacional de Telecomunicações, Huawei, Brasil, 5G
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar