01:47 02 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    132
    Nos siga no

    A proposta de uma emenda na Constituição que aumenta a proteção para parlamentares segue causando polêmicas em Brasília.

    Com o objetivo de estabelecer uma série de restrições à atuação do poder judiciário junto à prisão de parlamentares, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, saiu em defesa de sua proposta levada ontem (24) à votação.

    Ele rejeitou o "apelido" que foi imposto ao projeto, que agora é chamado de PEC da impunidade. Na noite de ontem (24), após votação preliminar, oposição e até mesmo ministros do Supremo Tribunal Federal criticaram a medida.

    Segundo informações do jornal O Globo, ministros do STF avaliam que as relações entre o Congresso e o Supremo podem azedar se a proposta avançar.

    Partidos como PSOL, Novo, Cidadania, Rede e Podemos, entre outros, também tentaram barrar a deliberação do tema, postando críticas à proposta em suas redes sociais.

    ​A deputada do PSOL, Fernanda Melchionna, também comentou o caso.

    ​Pouco antes de o plenário iniciar sessão sobre o assunto, Lira reagiu às críticas de que o texto seria elaborado para evitar qualquer punição a deputados e senadores

    ​A medida foi acordada pela maioria dos líderes após a manutenção da prisão do deputado Daniel Silveira. Lira defende uma tramitação rápida, enquanto a temperatura do assunto favorece a mudança de regras.

    Mais:

    Oposição faz acordo com Arthur Lira e terá cargos na Mesa Diretora da Câmara
    Pacheco e Lira defendem agilidade na vacinação e auxílio sem 'furar' teto de gastos
    Deputado Daniel Silveira tem perfis no Facebook e no Instagram retirados do ar
    Tags:
    senador, Senado, Congresso Nacional, parlamentares, Daniel Silveira, prisão, PEC, STF, Arthur Lira, Câmara dos Deputados, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar